Motel 6 vai pagar $12 milhões em indenizações por entregar imigrantes ao ICE

Segundo a promotoria, a rede entregou as informações de cerca de 80 mil hóspedes entre 2015 e 2017

2042
Motel 6 já pagou milhões indenizações por entregar imigrantes ao ICE
Motel 6 já pagou milhões indenizações por entregar imigrantes ao ICE

A rede de hotéis Motel 6 vai pagar caro por entregar imigrantes ao U.S. Immigration and Customs Enforcement (ICE). A rede concordou em pagar $12 milhões em indenizações em decorrência de uma ação judicial apresentada no estado de Washington, depois que várias filiais compartilharam as informações de milhares de hóspedes com os agentes de imigração.

O Procurador Geral de Justiça, Bob Ferguson, disse que o Motel 6 entregou as informações de aproximadamente 80 mil hóspedes entre 2015 e 2017. Eles presumiam que os hóspedes eram indocumentados por causa do sobrenome e por entregarem outras formas de identificação, que não a oficial americana.

O procurador detalhou que, por causa das denúncias, muitos hóspedes foram submetidos a interrogatórios, detidos e deportados como resultado da entrega das informações. Esse é o segundo acordo feito na justiça pela empresa nos últimos meses.

Além disso, a Motel 6 assinou um acordo de compromisso de não compartilhar as informações dos hóspedes sem uma ordem judicial em todas as suas filiais nos EUA.

“As ações do Motel 6 despedaçaram famílias e violaram os direitos de privacidade de milhares de moradores em Washington”, disse Ferguson através de um comunicado. “A nossa decisão responsabiliza o Motel 6 por entregar ilegalmente as informações dos hóspedes sem ordem judicial”.

A Motel 6 detalhou que “continua a cumprir sua política de privacidade com relação à clientela, a qual proíbe compartilhar as informações dos clientes, com exceção dos casos em que sejam emitidas ordens judiciais ou as autoridades locais de segurança solicitem as informações”.

A rede também implantou um sistema de controle adicional que administra os casos nos quais esses pedidos judiciais são feitos.

O jornal Phoenix News Times denunciou a prática em setembro de 2017, quando a repórter Antônia Farzan investigou duas filiais do Motel 6 em Phoenix. “Nós recebemos a denúncia de que isso estava acontecendo, então, começamos a conversar com advogados de imigração e realmente ouvimos das pessoas que era uma prática comum”, relatou ela. “Eles (advogados) não sabiam exatamente o que estava por trás disso, mas continuavam a ver as pessoas serem detidas no Motel 6”.

Poucos meses depois, o estado de Washington acionou judicialmente a companhia, alegando que funcionários de sete filiais na área de Puget Sound violaram a lei de proteção à privacidade dos consumidores quando eles compartilharam as informações. Ferguson frisou que, entre 2015 e 2017, os motéis compartilharam listas de hóspedes inteiras com as autoridades migratórias.

“Conforme interrogatórios envolvendo esses funcionários, os agentes do ICE circulavam os nomes que soavam latinos e os vasculhavam através de um banco de dados, posteriormente, detendo os hóspedes”, concluiu o Procurador de Justiça. (Com informações do Brazilian Voice)