Brasileiro que estava desaparecido na Califórnia é encontrado

Jovem, que estava sumido desde o dia 15 na região de San Francisco, está internado em hospital

0
6674
Willian Matheus Barreto foi encontrado na Califórnia (Foto Reprodução redes sociais)

Depois de muita angústia, centenas de compartilhamentos em redes sociais e empenho da empresa de AuPair para a qual o jovem trabalhava, foi encontrado o brasileiro que estava desaparecido na região de San Francisco, na Califórnia. Willian Matheus Barreto, de 24 anos, está internado em um hospital, mas não há detalhes sobre as circunstâncias do desaparecimento nem como o jovem foi achado.

Segundo o jornal Metrópoles, Willian está sob cuidados médicos e algum familiar virá para os Estados Unidos para buscá-lo e levá-lo de volta para o Brasil. Ele é de Brasília e veio para os EUA no ano passado.

No dia 15 de fevereiro, ele teria dito à mãe, Francisca Cláudia da Silva, que estava voltando para o Brasil porque estava sendo perseguido. “Ele estava trabalhando com essa família há cinco semanas. Ele gostava muito deles. Ele disse que gostou muito das crianças de que ele cuidava. Ele já trabalhou com crianças no Brasil, dando aulas, então era o trabalho perfeito”, contou a mãe.

No dia 12 de fevereiro, Willian saiu da casa família americana, sem avisar a ninguém, levando todos os seus pertences. Segundo o relato que a família que abrigava Willian deu a Cláudia, dias antes do desaparecimento do jovem, ele apresentou comportamentos estranhos.

“Eu conversei com a família e eles me falaram que dois dias antes de ele sair, ele estava com comportamento muito atípico. Ele ficava rodando no quarto, andando em círculo e falando coisas desconexas”, relatou a mãe.

À Cláudia, o jovem informou que estava com medo e que estava sendo perseguido. “Ele dizia que ia fugir. Na hora, fiquei sem reação, falei para ele procurar a empresa, o consulado e a polícia, mas ele dizia que estava todo mundo atrás dele. No dia 13, ele afirmou que estava no aeroporto e que havia feito um acordo com a empresa para voltar para o Brasil, mas que a empresa precisava de 48 horas para emitir a passagem”, diz Claudia.

A família estava preocupada devido ao comportamento estranho do jovem. Havia relatos de que ele estava andando em círculos e falando frases sem nexo. As pessoas da casa onde o brasileiro morava também demonstraram preocupação. “Ele já teve crise de ansiedade outras duas vezes, mas nada além disso. Talvez a pressão de morar sozinho em outro país tenha mexido com a cabeça dele”, comenta a mãe.

O caso está sendo acompanhado pelo Ministério das Relações Exteriores junto ao Consulado do Brasil em San Francisco.