A ligação entre St. Petersburg na Flórida e San Petersburg na Rússia

Localizada na Costa Oeste da Flórida, St. Petersburg é uma comunidade formada por pelicanos, botos, ensolarada e com muitos barcos

0
5028

DA REDAÇÃO – Hoje, é comum ouvirmos falar muito de San Petersburg, uma das cidades mais cosmopolitas da Rússia, e sede de vários jogos onde está sendo disputada a Copa do Mundo 2018. Pois saiba que St. Petersburg, na Flórida, tem uma ligação umbilical com sua homônima russa.

Localizada na Costa Oeste da Flórida, St. Petersburg ainda mantém muito do ar de cidade-resort que seus fundadores tanto valorizaram, uma comunidade formada por pelicanos, botos, ensolarada e com muitos barcos.

Ela surgiu há quase dois séculos, em 1875, quando o General John Williams veio de Detroit e comprou 2.500 acres de terra em Tampa Bay. Ele visualizou uma grande cidade com parques graciosos e ruas largas, características de St. Petersburg hoje. O primeiro hotel da cidade foi batizado de Detroit em homenagem à sua cidade.

Treze anos depois, Peter Demens, um nobre aristocrata russo, trouxe a ferrovia Orange Belt Railway para St. Petersburg. Em 8 de junho de 1888, chegou o primeiro trem, trazendo vagões de carga vazios e um passageiro, um vendedor de sapatos de Savannah, Geórgia. Ele construiu um trilho na época, às custas de calote nos trabalhadores e com credores ameaçando linchar Demens o tempo todo, até que finalmente a ferrovia chegou à St. Petersburg. Demens batizou a cidade com o nome de seu local de nascimento, St. Petersburg, Rússia. St. Petersburg foi incorporada como cidade em junho de 1903.

A partir daí, a cidade foi crescendo e se tornou independente de Tampa Bay. Na época da Segunda Guerra Mundial, a cidade teve um grande crescimento por se ter tornado base de treinamento dos soldados americanos e o Departamento de Guerra escolheu St. Petersburg como principal centro de treinamento de serviços técnicos do Army Air Corps. Mais de 100.000 trainees lotaram os hotéis e depois da guerra muitas famílias se instalaram na cidade ou voltavam para visitá-la como turistas.

Nessa época, o grande pintor espanhol Salvador Dalí também foi viver lá, e fez amizade com alguns locais que ficaram responsáveis por suas obras. Após sua morte, eles decidiram abrir o Museu Salvador Dalí com obras do magistral pintor europeu. Ainda hoje, o museu é uma das principais atrações da cidade.

Nos anos 50, com o advento do ar condicionado, tornou-se um dos locais preferidos dos aposentados. Central Plaza e Tyrone Gardens Shopping Center começaram a atrair comércio que antes estava concentrado no centro da cidade. A população ultrapassou 200.000 habitantes e trilhos de bonde foram retirados para abrir caminho aos automóveis. Na década seguinte, foram construídos a marina municipal, a principal biblioteca, Bayfront Center e o Museu de Belas Artes.

O imponente Renaissance Vinoy Resort em frente ao mar no centro da cidade foi restaurado em 1992 para manter seu charme da primeira construção em 1925. BayWalk, local de restaurantes, lojas e entretenimento trouxe cinemas e lojas de luxo ao centro da cidade em 2000. Posteriormente, o complexo foi reaberto ainda mais charmoso. O centro também se transformou em um dos bairros mais badalados da Flórida – abrigando desde lofts ao estilo urbano e sobrados até condomínios de luxo ao longo da Beach Drive. E mais de 10 institutos oceanográficos estão instalados na área da Bayboro Harbor de St. Petersburg.

Nesse milênio, St. Petersburg emergiu como um dos principais destinos para artes – com o novo Dali Museum inaugurado em 2011, a mundialmente conhecida coleção de vidros de Dale Chihuly e seis distritos de arte.

A cidade também reconstruiu o píer em formato de pirâmide invertida e está renovando sua orla histórica. À medida que St. Petersburg entra em sua segunda época dourada, continua sua revitalização com projetos que incluem lojas, restaurantes e cinemas. Mais de 900 eventos levam cerca de 10 milhões de pessoas anualmente à cidade para assistir competições de automóveis, corridas de iates, triathlons, beisebol, basquete, ciclismo, festivais, exibições culturais e musicais.

Portanto, ninguém tem desculpa para não visitar St. Petersburg, tão charmosa quanto sua homônima russa.