A noite dos visitantes

0
1476

A noite de quarta-feira, 12 de julho de 2017, ficará marcada na história dos campeonatos brasileiros. Talvez tenha sido a primeira vez que todos visitantes venceram. A noite começou com a goleada do Bahia sobre a Ponte Preta em Campinas e terminou com a vitória do imbatível Corinthians sobre seu arquirrival no Allianz Parque tirando uma invencibilidade do Palmeiras que estava há quase um ano sem perder em seu estádio. A pergunta que fica é esta: algum time conseguirá vencer o Timão nesta temporada? Aqui, vamos analisar os jogos e outras notícias do mundo do esporte.

Bahia mostra força e bate Ponte em Campinas

A estrela de Rodrigão iluminou o caminho do Bahia e prejudicou a meta de recuperação da Ponte Preta, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com dois gols, um em cada tempo, o atacante brilhou na primeira partida como titular e liderou a vitória tricolor por 3 a 0 no Moisés Lucarelli – Renê Júnior, no fim da partida, completou o placar. O time de Jorginho volta a vencer depois de sete jogos, enquanto a Macaca prolonga seu jejum para quatro. Ambos estão bem próximos na tabela, têm a mesma pontuação (15), mas em direções opostas depois deste resultado. O Bahia pega o elevador e sobe algumas posições, mais próximo da zona de classificação à Sul-Americana. No próximo domingo (16), pode melhorar ainda mais sua posição, pois recebe o Avaí no Estádio Pituaçu, em Salvador. A Ponte, por sua vez, cai e fica perto da zona de rebaixamento. São três derrotas nos últimos quatro jogos. Também no domingo, tem outro compromisso difícil. A Macaca vai a Porto Alegre enfrentar o Grêmio em sua Arena.

Santos bate Galo no Independência e fica no G4

A vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-MG, no Independência, permitiu ao Santos terminar a rodada no G4. Mas o técnico Levir Culpi prefere enxergar além e acredita que o triunfo pode representar o ponto de partida de uma arrancada do Peixe. “Uma vitória dessas une. A vitória tem efeito na questão emocional, assim como a derrota. Já vi vários times que nascem na vitória e decolam. Vivemos muito em cima do emocional. Acho perfeitamente possível deslanchar. Precisamos melhorar um pouco para ser campeão”, disse o técnico logo após a partida. O gol da vitória foi marcado pelo lateral Daniel Guedes, cobrando falta a poucos minutos do final do jogo. Este foi seu primeiro gol vestindo a camisa do Santos como jogador profissional. Cada equipe ainda desperdiçou um pênalti, com os goleiros defendendo. O Alvinegro praiano jogará fora de casa no domingo quando enfrentará o Vasco da Gama no Rio de Janeiro em estádio a ser determinado pela CBF. O Estádio de São Januário pode ser interditado após os lamentáveis acontecimentos registrados no local no final de semana quando o Gigante da Colina foi derrotado em casa pelo Flamengo. A briga entre torcedores deixou até mesmo um torcedor vascaíno morto e a Justiça defende a interdição do estádio e apuração de responsabilidades. O Atlético-MG também atuará fora, porém, tem um compromisso bem mais fácil, em teoria. Jogará contra o Atlético-GO em Goiânia, lanterna do Brasileirão. Os dois jogos estão marcados para domingo, 16 de julho.

Botafogo vence o clássico vovô

A maioria das pessoas que assistiu ao Clássico Vovô gostou do espetáculo. Três bolas na trave, chances para os dois lados. Mas é lógico que o torcedor do Botafogo ficou mais satisfeito. Agora, vai ser difícil encontrar alguém mais sorridente do que o técnico Jair Ventura. Ele não escondeu a alegria pela primeira vitória, como treinador, no Maracanã. “Quando o Fluminense começou a jogar bola na área no fim da partida, parecia uma final. No Brasileiro, é muito difícil conseguir os três pontos. Viemos de uma batida muito forte. De vez em quando temos que poupar, não podemos correr riscos. Um dia especial para a minha carreira. A última vitória do Botafogo, aqui, foi em 2015. Foi a minha primeira no Maracanã. Estou igual a um menino. Vitória maiúscula, na minha opinião”, celebrou o treinador. E a vitória que encerrou jejum de três partidas sem triunfos no Campeonato Brasileiro foi obtida com uma baixa de última hora. Bruno Silva concentrou, chegou no estádio com a delegação, mas não ficou nem cinco minutos e foi embora com dores na coxa direita. Entretanto, o gol de Roger serviu para dar a vitória ao Alvinegro carioca sobre o Tricolor, no clássico mais antigo do Rio de Janeiro. O Fluminense via a Curitiba no domingo para enfrentar o Coritiba, em busca da reabilitação, enquanto o Botafogo recebe o Sport no Rio de Janeiro, no jogo de segunda-feira, dia 17.

Cruzeiro afasta a má fase e vence Furacão

Com uma atuação consistente, o Cruzeiro venceu o Atlético-PR por 2 a 0, na Arena da Baixada. Com gols marcados por Lucas Romero e Rafael Marques, o time mineiro assumiu provisoriamente o G 6 do Campeonato Brasileiro, com 20 pontos. Já o Furacão chegou a quinta partida seguida sem vencer na temporada e vive um clima de pressão. O Cruzeiro começou a partida com uma postura ofensiva. Logo nos minutos iniciais, Élber, Thiago Neves e Henrique assustaram o goleiro Weverton. Aos 11, Lucas Silva arriscou de fora da área e acertou o travessão, na tentativa mais perigosa. Depois disso, o Atlético-PR até tentou bastante, mas não foi eficaz. Nikão, Eduardo Henrique e Eduardo da Silva finalizam sem força e facilitaram a vida de Fábio. Já o Cruzeiro seguia assustando e aos 40 minutos fez o segundo gol com Rafael Marques, que havia acabo de entrar. Ele aproveitou o rebote de Weverton, após finalização de Thiago Neves, e não desperdiçou. 2 a 0. Com a derrota, o clima na Arena da Baixada ficou totalmente hostil. A torcida passou a protestar muito contra a diretoria, em especial o presidente do Conselho Deliberativo, Mário Celso Petraglia. O Furacão é o 15º, com 15 pontos. Vale destacar que a diretoria do Atlético-PR demitiu recentemente o técnico Eduardo Batista, por causa dos maus resultados. Em solidariedade, Paulo Autuori, gerente de futebol, também pediu demissão. A equipe foi dirigida interinamente pelo auxiliar técnico Kelly. No final de semana, o Rubro-Negro paranaense jogará contra o líder Corinthians em São Paulo, no único jogo de sábado, dia 15 de julho. O Cruzeiro também terá um compromisso difícil, pois recebe o Flamengo no Mineirão, no domingo.

Vasco goleia Vitória no ritmo da base

O Vasco da Gama venceu o Vitória por 4 a 1, no Barradão, em Salvador, com gols de Kanu (contra), Thalles, Paulo Victor e Guilherme Costa (todos da base do Vasco), enquanto Kanu fez o único gol dos clubes mandantes na quarta-feira (12).  Após 13 rodadas no Campeonato Brasileiro, o Vasco conseguiu vencer pela primeira vez fora de casa, jogando bastante desfalcado, inclusive dos dois melhores jogadores do time: Luis Fabiano e Nenê. Milton Mendes, entào, colocou um Vasco remontado para tentar surpreender o Vitória. E conseguiu para júbilo do treinador que já estava cansado de tantas críticas ao seu trabalho. No primeiro jogo depois das confusões do último fim de semana, era essencial o Cruz-Maltino mostrar que não se abalou na sequência em 2017 no Campeonato Brasileiro. Para isto, contou com a falta de punch do Vitória que, não por acaso, se encontra no Z4. Alexander Gallo tem de quebrar a cabeça para ajietar seu time que tem como adversário o Palmeiras, em São Paulo, em jogo no qual ambos buscam reabilitação. Já o Vasco da Gama recebe o Santos no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro, com portões fechados, em punição aos lamentáveis acontecimentos ocorridos em São Januário no final de semana no clássico contra o Flamengo.

Quem detém o Corinthians?

O time do Corinthians era apontado como a quarta força entre os gandes clubes de São Paulo. Com um técnico inexperiente no comando (Fábio Carille), um elenco sem grandes estrelas e vindo de um 2016 decepcionante, poucos apostavam suas fichas no Timão. Entretanto, os números desmentem as previsões dos especialistas. Após ter vencido o Campeonato Paulista, o time ganhou consistência e vem fazendo uma campanha incrível no Campeonato Brasileiro, onde lidera com 35 pontos, fruto de 11 vitórias e dois empates em 13 partidas disputadas. Inclua-se aí vitória sobre os temíveis Grêmio em Porto Alegre e Palmeiras no Allianz Parque neste meio de semana. A vitória no clássico foi conquistada com o jeito corintiano de atuar. A equipe cede a iniciativa para o adversário quando é visitante e especula em contra-ataques. Em casa, coloca pressão sobre os adversários até conseguir marcar pelo menos um gol para decretar a vitória como ocorreu contra a equipe reserva do Botafogo. Não é um futebol vistoso, é até mesmo chato de assistir, pois consiste de 90% de transpiração e 10% de inspiração. Contra o Palmeiras, não foi diferente. O time se fechou lá atrás, deu três chutes a gol contra 20 do Verdão e venceu por 2 a 0, com gols de Jadson cobrando pênalti e de Guilherme Arana concluindo o bom passe de Romero em jogada de contra-ataque, obviamente. O que intriga é o fato de os rivais saberem como o Timão atua e ninguém até agora encontrou o antídoto para derrotar o até agora invencível Alvinegro paulista. Se prevalecer a lógica, não terá muitos problemas para derrotar o conturbado furacão no Itaquerão no único jogo programado para sábado (15).

Cuca admite não ter encontrado time ideal

Se o Corinthians vem surpreendendo positivamente, o Palmeiras vem fazendo o contrário. Apontado como uma das três melhores equipes do Brasileirão, ao lado de Flamengo e Atlético-MG, o Verdão não consegue encontrar a formação ideal. Os novos contratados não deram os resultados esperados, apesar de Guerra estar jogando bem. Já Borja não consegue justificar o alto investimento feito pelo clube em sua contratação. Ou ele não se adaptou ao país e ao estilo de jogo do time ou realmente foi sobrevalorizado e não é o artilheiro que pintou no Atlético Nacional da Colômbia. A verdade é que até mesmo Cuca admite: “Não consegui achar o time titular ainda”. Isto é preocupante, porque o Verdão disputa três competições. O Campeonato Brasileiro dificilmente deixará de ir para o Corinthians ou para o Flamengo – ao que parece, a única equipe que pode incomodar o Timão. Dirigentes e torcedores nunca esconderam que o objetivo do Palmeiras este ano é a conquista da Copa Libertadores da América. Para isto, no entanto, é preciso melhorar bastante. A equipe vem de três derrotas consecutivas: Barcelona de Guayaquil por 1×0; Cruzeiro 3×1, e Corinthians 0x2. Além disto, ainda se mantém vivo na Copa do Brasil. Porém, neste caso, terá difícil missão de vencer o Cruzeiro em Belo Horizonte para ir às semifinais da competição. E no início de agosto terá a verdadeira prova de fogo. Será obrigado a vencer o time equatoriano por dois gols ou mais de diferença para continuar vivo na Copa Libertadores da América.

Demais partidas do Brasileirão

Infelizmente como fechamos a coluna antes da rodada de quinta-feira (13), sem saber os resultados do grande choque entre Flamengo e Grêmio, na briga pela vice-liderança; Sport (que acabou segurando Diego Souza) e Chapecoense; Avaí e Coritiba, e São Paulo contra Atlético-GO, na luta entre lanterna e vice-lanterna.

Violência no futebol tem de parar

O que deveria ser um lazer e uma forma de diversão parece ter-se transformado em uma operação paramilitar, graças às ações de “torcedores” que se digladiam em nome de clubes de futebol como se fossem cruzados na época das guerras contra os mouros. Depois da absurda morte de um torcedor vascaíno, agora chegou a vez do palmeirense Leandro de Paula falecer em decorrência de ferimentos a faca desferidos por “torcedores” corintianos em briga ocorrida na madrugada após o jogo entre as duas equipes. A discussão foi em frente a uma borracharia próximo à Rua Tupi e Avenida General Olímpio da Silveira, sob o Minhocão, não muito distante do estádio do Palmeiras. Ou seja, nem mesmo o fato de haver torcida única impede mortes sem sentido, porque os marginais usam o pretext de torcer para determinada equipe para liberar seus instintos animalescos e transformar o futebol em fonte de violência – como se o Brasil não tivesse violência suficiente em vários de seus segmentos. Lamentável!