Adolescente sobrevive depois de ser contaminado por ameba “comedora” de cérebro

Em toda a história que se tem notícia do parasita, apenas cinco de 138 pessoas sobreviveram

0
7497
Adolescente sobreviveu a ameba comedora de cerebro
Adolescente sobreviveu a ameba comedora de cerebro

Um adolescente de Broward superou todas as expectativas dos médicos e sobreviveu depois de ter sido contaminado pela Naegleria fowleri, a ameba “comedora” de cérebro. Ele é a quinta pessoa, nos últimos 50 anos, a sobreviver a esse parasita que em 97% dos casos é letal.

Sebastian DeLeon, de 16 anos, foi atendido em um hospital infantil de Orlando (FL). As autoridades acreditam que ele tenha contraído o parasita ao nadar em um lago de água não tratada em Broward. Ele começou a sentir mal quando estava passeando com a família em Orlando e foi levado ao hospital.

Em entrevista coletiva, a família agradeceu a toda equipe médica. “Somos muito gratos a Deus que nos deu o milagre de o meu filho ter sobrevivido e agradecemos aos médicos que salvaram a vida dele”, disse a mãe de Sebastian, Brunilda Gonzales.

Ela contou que o filho teve uma dor de cabeça muito forte e, por isso, foi levado ao hospital. Assim que foi admitido, o pediatra fez o teste para esta ameba e agiu rapidamente. O medicamento aplicado foi manipulado em Orlando e foi levado ao hospital em 12 minutos depois do diagnóstico.

A Naegleria fowleri é frequentemente encontrada em água doce, como lagos, rios e nascentes de água quente. Esse parasita nada livremente e, em geral, entra no corpo pelo nariz, enquanto as pessoas nadam ou mergulham. Ele pode, então, chegar até o cérebro e causar uma infecção devastadora.

Os sintomas iniciais costumam começar dentro de um a sete dias e podem incluir dor de cabeça, febre, náusea e vômitos. A doença progride rapidamente, e outros sinais comuns são rigidez no pescoço, confusão, perda de equilíbrio, convulsões e alucinações. Além disso, a infecção destrói o tecido cerebral e pode causar edema (acúmulo de líquido) e morte.