Adolescentes acusam instrutor de jiu-jitsu brasileiro de tocá-las de forma inapropriada

Menina de 13 anos disse à polícia que instrutor ‘tocou em seu seio embaixo do sutiã’

0
4584
João da Silva está preso sem fiança em Broward
João da Silva está preso sem fiança em Broward

DA REDAÇÃO, COM SUNSENTINEL – O instrutor de jiu-jitsu brasileiro João da Silva, de 34 anos, está sendo acusado por três adolescentes de tocá-las de forma indevida. Uma menina de 13 anos disse à polícia que o professor a tocava embaixo do sutiã há muito tempo e, às vezes, chegava a três vezes por semana.

Em depoimento sob juramento, a menina disse se sentia “machucada o resto do dia”. Há duas semanas, uma adolescente de 15 anos também denunciou João, que é proprietário da academia Raiva Brazilian Jiu-Jitsu, localizada na State Road, em Davie (FL). Outra menina apresentou acusações, mas na cidade de Hollywood (FL).

O instrutor foi preso na tarde de terça-feira (21) e está preso sem direito à fiança na cadeia do condado de Broward com acusações de agressão sexual de menor e ato libidinoso, segundo a ocorrência policial.

“As vítimas disseram que ele as tocou de propósito e não de forma acidental, como parte da aula”, informou a polícia de Davie.

Ao ser preso, o acusado não deu nenhuma declaração aos repórteres. A esposa do acusado também se recusou a responder aos jornalistas no telefone.

Um pai de um aluno da academia disse que o instrutor é muito querido e acredita que ele não tenha feito isso de propósito.