Advogada de imigração brasileira é ameaçada de morte por postagem nas redes sociais

Além das ameaças por telefone, Renata Castro foi duramente atacada por americanos e brasileiros no Facebook e na página de seu escritório de advocacia por postagem; entenda o caso

0
10937
Advogada de imigração Renata Castro

A advogada de imigração Renata Castro – muito conhecida pela comunidade brasileira e que tem um escritório em Pompano Beach (FL) – viu sua vida virar um verdadeiro caos após postar, na manhã desta sexta-feira (28), algo que foi levado como ofensa por apreciadores do presidente Donald Trump. Na postagem em sua página pessoal, Renata escreveu em inglês: “Se eu contrair o coronavírus vou participar de todos os comícios do MAGA (Make America Great Again)”. 

Em instantes, o post foi compartilhado em uma página do Partido Republicano e os ataques começaram. O mais grave foi de um americano que ligou diversas vezes para o escritório da advogada dizendo que iria até o local “e mataria todo mundo”, além de fazer ofensas a todos. “Ele ligou pelo menos 15 vezes e deixou meus funcionários muito assustados. Até que eu peguei o telefone e disse: se você quiser me matar venha com um fuzil, armado até os dentes, porque se vier desarmado, vai apanhar muito”, disse a advogada em entrevista ao AcheiUSA. 

Renata acionou a polícia, mas ela acredita que a resposta dos policiais não foi satisfatória. “Eles não levaram uma denúncia dessa gravidade a sério. É racismo, é xenofobia e uma clara ameaça de tiroteio, mas como eu sou imigrante, a polícia ignorou”, disse. 

Em sua página no Facebook, por mensagens inbox e na página do seu escritório de advocacia na internet, Renata foi duramente ofendida com palavras de baixo calão, ofensas racistas e ameaças. Muitos disseram que a denunciariam para o Florida BAR, a ordem dos advogados que regulamenta a profissão no Estado. 

Ataque por parte dos brasileiros

Em meio a tantas ofensas, o que deixou a advogada mais chateada foram os ataques dos brasileiros que, na sua opinião, deveriam se unir. “Recebi mensagens horríveis de alguns conterrâneos, me xingando de nomes impublicáveis. Eles se esquecem que, apesar de terem documentos, são imigrantes e sempre serão imigrantes aos olhos dessas pessoas que odeiam os estrangeiros. Nós sempre teremos sotaque, você pode alisar o cabelo, pintar o corpo de branco, agir como americano, mas você é brasileiro e não tem como mudar isso”.

Renata afirma estar tranquila e não se arrepende de ter feito a postagem. “Eu fiz uma brincadeira já que o Trump falou que o coronavírus não representava uma ameaça aos Estados Unidos e nomeou o vice, Mike Pence, para conduzir as políticas de contenção do vírus quando sabemos que ele fez um terrível trabalho em Indiana em políticas contra a propagação do HIV”, justifica a advogada.

Renata, que é colaboradora do AcheiUSA, afirma que vai seguir seu caminho com a cabeça erguida e na luta pelos direitos dos imigrantes que têm direito de viverem o sonho americano.