‘Ameaça de covid não pode ser usada como justificativa para deportar imigrantes na fronteira’, diz ex-funcionária do CDC

Sob o chamado “Title 42” governo Biden dá continuidade à política implementada por Trump para deportar imigrantes sumariamente da fronteira

0
873
Anne Schuchat (à esquerda), ex-funcionária do CDC (Foto: REUTERS/Jim Bourg)
Anne Schuchat (à esquerda), ex-funcionária do CDC (Foto: REUTERS/Jim Bourg)

Desde março de 2020, mais de 1.2 milhão de estrangeiros foram mandados de volta aos seus países ao tentarem atravessar a fronteira sob o chamado “Title 42”. O argumento da política criada por Trump era que “os imigrantes representam ameaça à saúde pública devido à pandemia de covid-19”.

Essa política segue sendo implementada por Biden, que têm deportado a maioria dos estrangeiros que chega à fronteira e pede asilo.

Mas na opinião da ex-funcionária do Centers for Disease Control and Prevention (CDC), Anne Schuchat, essa política nunca foi necessária, mesmo no auge da pandemia. “Nós tínhamos muitas evidências de que essa expulsão de imigrantes não era necessária para conter o vírus”, disse Anne ao Congresso, que investiga a responsabilidade de Donald Trump no controle à pandemia.

“Naquele período, havia muitas outras doenças nos Estados Unidos e não somente na fronteira. O foco era conter o vírus do outro lado da fronteira, aqui dentro dos EUA”, disse.

O governo Biden já expulsou mais imigrantes sob o Title 42 que Trump, segundo ativistas de imigração.

O secretário de Homeland Security, no entanto, argumenta que é necessário controlar a entrada de imigrantes para evitar o aumento do número de casos de covid. “Nós estamos fazendo isso em nome da saúde pública. Não é uma política e sim de saúde”, enfatizou Mayorkas.