Americanos formam longas filas em lojas de armas devido à pandemia do coronavírus

Argumento é “defender a família caso haja saques e histeria geral por causa do vírus”

0
2016
Americanos correm para comprar armas diante da pandemia do coronavírus (Foto Flicker)

Lojas de armas em todos os Estados Unidos viram as vendas dispararem devido à epidemia do coronavírus. Segundo o jornal USA Today, eles também buscam munição com o argumento de se defenderem no caso de saques e histeria generalizada por causa do vírus. 

Ralph Charette, de 71 anos, comprou um rifle e munição para proteger sua família. Ele é veterano de guerra e gastou $1.500 em armas e munição em uma loja do Wisconsin. “Há muita incerteza e paranoia, nunca se sabe o que pode acontecer”, disse ao USA Today.

Os estados da Califórnia, New York e Washington – os estados mais atingidos pela Covid-19 – são os estados que viram o maior aumento na venda de armamentos. Outros foram às compras acreditando que alguma lei emergencial limitando a vendas de armas no país seja aprovada nas próximas semanas. A procura também cresceu entre a comunidade de origem oriental, temendo ataques racistas, já que o epicentro da crise foi a China.

Segundo a loja online Ammo.com, a venda de armas subiu 68% desde 23 de fevereiro, quando vieram as primeiras informações de explosão do número de casos de infecção por coronavírus na Itália.

“Políticos e pessoas que são contra armas vêm nos dizendo que não precisamos de armas. Mas agora muitas pessoas estão realmente assustadas e precisam tomar a decisão sozinhas”, afirmou ao “LA Times” John Gore, 39 anos, que estava em uma fila para comprar arma.

O coronavírus já matou 69 pessoas e infectou outras 3.774 nos EUA.