Após atingir o Texas como furacão categoria 1, Hanna segue para o México

0
871
Bob Hall Pier foi danificado pelo Hurricane Hanna (Foto: USA Today Network/Reuters)
Bob Hall Pier foi danificado pelo Hurricane Hanna (Foto: USA Today Network/Reuters)

Primeiro furacão a se formar na costa do Atlântico em 2020, Hanna atingiu o sul do Texas como um furacão categoria 1, mas voltou a ser considerado  tempestade tropical à medida que seguiu para o noroeste do México, com ventos de até 65 quilômetros por hora.

“Espera-se um enfraquecimento  da tempestade, dado que o centro de Hanna se move para o interior e o ciclone enfraquece para uma depressão tropical. A expectativa é que o fenômeno se dissipe nesta segunda-feira”, informou o National Hurricane Center (NHC).

Imagens capturadas pela rede de televisão CBS News  mostraram estradas e um parque na cidade costeira de Corpus Christi, no Texas, coberta de entulho e árvores caídas. Não houve relatos de vítimas fatais. 

O  NHC alertou que chuvas torrenciais e até tornados continuarão sendo uma ameaça pelos próximos dias. O presidente Donald Trump tuitou que seu governo trabalhará em “estreita” coordenação com as autoridades estaduais, e pediu aos locais para “protegerem sua família e propriedade”. O furacã0 Hanna chegou ao Texas no momento em que o estado enfrenta uma dura situação, com um aumento exponencial de infecções por COVID-19.

Douglas

Na costa do Pacífico,  o furacão Douglas se espalhou pelas ilhas havaianas neste domingo. Um aviso de furacão foi emitido para os municípios de Maui e Kauai, Oahu, a ilha e Honolulu.

Douglas, que chegou a ser um poderoso furacão de categoria 4, enfraqueceu-se até virar categoria 2, com ventos de cerca de 170 km/h. 

“Prevê-se um enfraquecimento gradual para as próximas 48 horas, mas espera-se que Douglas continue sendo um furacão enquanto se desloca pelas ilhas do Havaí”, disse o NHC em comunicado.

A tempestade deve trazer ondas potencialmente perigosas e destrutivas , e chuvas de até 380 mm.

Até a manhã desta segunda-feira, outra tempestade, Gonzalo, se encontrava no Atlântico, perto das ilhas de Barlovento.