Após reajuste da gasolina, brasileiros enfrentam filas de quatro horas para abastecer na Argentina

No país vizinho, a média do litro é R$4,50, enquanto no Brasil está em torno de R$7,50; argentinos impuseram limite de até 15 litros por abastecimento aos estrangeiros

0
630
Filas de carros na fronteira entre de Puerto Iguazu- entre Brasil e Argentina (foto:Twitter)
Filas de carros em Puerto Iguazu, fronteira entre Brasil e Argentina (foto:Twitter)

Após o anúncio de Petrobras de que a gasolina no Brasil ficou 18,8% mais cara e o diesel 24,9%, os brasileiros cruzaram as fronteiras para abastecer em países vizinhos. Segundo uma reportagem do jornal Folha de S. Paulo, na Argentina, a espera para encher o tanque dura até quatro horas na fila do posto, mais uma hora para passar pela aduana. No país vizinho, a média do litro é R$4,50, enquanto no Brasil está em torno de R$7,50. Os argentinos impuseram um limite para os estrangeiros de até 15 litros por abastecimento.  

Outra fronteira procurada pelos brasileiros é a do Paraguai. Em Cidade de Leste, do lado paraguaio da Tríplice Fronteira, as filas de carros são menores, mas a economia também é reduzida. Até a última atualização do site Global Petrol Prices, um litro de gasolina no país vizinho está custando 8.420 guaranis paraguaios, o equivalente a 6,04 reais. Além dos combustíveis, o gás de cozinha (GLP) também sofre com o reajuste da Petrobras. O preço médio às distribuidoras foi reajustado em 16,1%. Com isso, o preço por quilo sai de R$ 3,86 para R$ 4,48. Para 13 kg (peso do gás de cozinha), isso representa um custo de R$ 58,21 às distribuidoras.