Ataque na Síria mata 15 pessoas, entre elas, dois americanos

Os Estados Unidos têm cerca de 2 mil soldados na Síria, enviados para trabalhar com milícias locais para combater o Estado Islâmico

0
776
Imagens de câmeras de segurança mostram local do ataque FOTO ANHA via AP
Imagens de câmeras de segurança mostram local do ataque FOTO ANHA via AP

Um ataque suicida no norte da Síria cuja autoria foi reivindicada pelo Estado Islâmico matou 15 pessoas nesta quarta-feira, 16, entre elas 2 soldados e 2 civis americanos, segundo o Pentágono. A ação pôs em xeque a vitória sobre o grupo terrorista reivindicada pelo presidente Donald Trump em dezembro ao anunciar a saída das tropas do país. As informações são do Estadão.

“Dois militares americanos, um civil do Departamento da Defesa e um (funcionário) terceirizado em apoio ao departamento foram mortos, e três militares ficaram feridos enquanto realizavam um trabalho em Manbij”, informou, em comunicado, o Centro de Comando Militar dos EUA. O Observatório Sírio dos Direitos Humanos informou que havia civis locais entre os mortos.

Após o ataque, o vice-presidente americano, Mike Pence, prometeu que os EUA impedirão o ressurgimento do EI, mas manterão os planos de retirar suas tropas.

O ataque foi conduzido contra um restaurante na cidade de Manbij, onde os soldados americanos costumavam parar para comer durante suas patrulhas pela área, segundo moradores. Após a explosão, um número de americanos foi retirado de helicóptero do local, disseram. Não estava claro quantos militares americanos estavam no local no momento do ataque.

Os Estados Unidos têm cerca de 2 mil soldados na Síria, enviados para trabalhar com milícias locais para combater o Estado Islâmico. No mês passado, ao declarar que a batalha contra os jihadistas tinha acabado, Trump anunciou a retirada desses soldados em 30 dias.