Baterista do Foo Fighters morreu de overdose, diz exame toxicológico

Grupo de rock dos EUA se apresentaria no festival Lollapalooza, em São Paulo, neste domingo

0
1101
O baterista Taylor Hawkins, do Foo Fighters (foto: AP)
O baterista Taylor Hawkins, do Foo Fighters (foto: AP)

O baterista da banda Foo Fighters, Taylor Hawkins, morreu de overdose, de acordo com as autoridades policiais da Colômbia. O músico de 50 anos foi encontrado morto  na madrugada de sábado (26) em um quarto de hotel em Bogotá.  O Foo Fighters estava na Colômbia para um show no festival Estéreo Picnic, realizado neste fim de semana. No domingo, o grupo se apresentaria no  Lollapalooza, em São Paulo. Ambos os shows foram cancelados após a tragédia.

O exame toxicológico realizado no corpo de Hawkins revelou indícios de pelo menos dez substâncias, entre elas: THC (maconha), antidepressivos tricíclicos, benzodiazepínicos e opioides. A Secretaria de Saúde da capital colombiana emitiu um relatório na noite de sexta-feira sobre um paciente com dor no peito em um hotel ao norte da cidade. Uma ambulância foi enviada ao local. Quando os paramédicos chegaram, um provedor de saúde privado já estava fornecendo tratamento, mas os esforços para ressuscitar Hawkins não tiveram sucesso, segundo o comunicado.

O artista já havia sofrido uma overdose em 2001, quando ficou em coma por duas semanas. Ele chegou a revelar que tinha problemas com álcool e drogas no documentário “Foo Fighters: Back & Forth”.  O baterista nasceu em Forth Worth, no Texas, e se juntou à banda formada por ex-integrantes do Nirvana em 1997. Antes disso, Hawkins tocava bateria para a cantora Alanis Morissette. Sua morte causou comoção entre fãs e outros artistas de todo o mundo. Nas redes sociais, o Foo Fighters prestou uma homenagem a Taylor Hawkins e afirmou que toda a banda “está devastada pela perda trágica e prematura” do baterista.