Boletim da Copa – grupo E registra nova zebra e goleada

0
423

Claro que foi uma coincidência, mas as duas seleções que fizeram protestos antes do início de suas partidas se deram mal. Os jogadores da Alemanha se agacharam e colocaram as mãos em suas bocas para denunciar o desrespeito aos direitos humanos praticado pelo país anfitrião e se complicaram, enquanto os jogadores da Costa Rica se ajoelharam no gramado ao melhor estilo Black Lives Matter e sofreram a maior goleada da Copa até agora. Em tempo: não condeno as atitudes de alemães e costarriquenhos, apenas estou registrando os fatos. Acompanhe abaixo como foi a 1ª rodada dos Grupos E e F.

Pobre Costa Rica

Com o perdão do trocadilho infame, deu mesmo dó da seleção da América Central, massacrada pela La Furia, apelido da seleção espanhola. O time comandado por Luis Henrique registrou a maior goleada da Copa do Mundo no Catar ao fazer 7 a 0 7 a 0 na Costa Rica, no estádio Al Thumama, pelo Grupo E – e poderia ter feito mais. Dani Olmo, Asensio, Ferrán Torres (2), Gavi, Soler e Morata marcaram os gols no dos campeões de 2010.

Com a goleada, a Espanha lidera o Grupo E com os mesmos três pontos do Japão, mas leva vantagem nos critérios de desempate. A Costa Rica está na lanterna. A segunda rodada da chave será disputada no domingo (27). A Costa Rica tenta reação frente ao Japão, que surpreendeu a Alemanha na estreia. A Espanha encara a Alemanha pode ser eliminada da Copa se perder para a Espanha no domingo.

Japão vira contra Alemanha no Grupo E 

Mesmo mantendo predomínio na posse de bola, a Alemanha demonstrou um futebol opaco, com poucos lances de brilho. A ausência de Sané, por contusão, tirou a criatividade da equipe quatro vezes campeã mundial e a seleção europeia foi derrotada pelo Japão no Estádio Khalifa, na quarta-feira (23), na abertura do Grupo E.

No primeiro tempo, o domínio dos alemães fo flagrante com 75% de posse de bola. No entanto, era um domínio estéril, com poucas chances criadas. O único gol marcado nesta etapa foi de pênalti, cobrado por Ilkay Gundogan, depois de o goleiro Gonda ter cometido uma falta desnecessária na pequena área.

Na volta do intervalo, porém, a seleção japonesa foi para a frente e as substituições processadas pelo treinador Hajime Moriaysu foram fundamentais para o crescimento da equipe. Tanto que Doan e Asano, que entraram durante a partida, foram os autores dos dois gols que garantiram a vitória de 2 a 1 sobre a seleção germânica. Um resultado que não deixa de ser surpreendente, apesar de o Japão ter uma seleção melhor do que a Arábia Saudita, por exemplo.

Bélgica lidera Grupo F

A Bélgica confirmou seu favoritismo e venceu o Canadá por 1 a 0, nesta quarta-feira (23), no estádio Ahmad Bin Ali, pelo Grupo F da Copa do Mundo. Mas o jogo foi bem equilibrado. Os canadenses surpreenderam e foram superiores na maior parte do jogo, mas vacilaram nas finalizações, inclusive no pênalti que Davies cobrou e Courtois defendeu. Os “Red Devils” assumiram a liderança.

Com a vitória, a Bélgica somou seus primeiros três pontos e está em primeiro lugar. Croácia e Marrocos empataram em 0 a 0 e têm um ponto cada. O Canadá é o quarto, sem ponto somado.

Os belgas voltam a campo no domingo (27) para enfrentar o Marrocos, e os canadenses, no mesmo dia, medem força com a Croácia.

Croácia e Marrocos empatam em jogo sonolento

Em sua estreia na Copa do Mundo, a atual vice-campeã Croácia ficou no empate em 0 a 0 com o Marrocos, nesta quarta-feira (23), no Estádio Al Bayt, pelo Grupo F. A partida foi escassa de criatividade e chances de gols para os dois lados. Sob liderança de Modric, a equipe croata não conseguiu impor seu futebol diante da forte defesa do Marrocos, que também não fez questão de ter presença no ataque.

A seleção dos Balcãs mostrou um futebol bem pobre e não conseguiu superar a boa defesa armada pelos jogadores marroquinos. E os africanos até criaram algumas oportunidades de perigo. Mas a verdade é que a Croácia precisa melhorar bastante para derrotar o Canadá no domingo (27), porque a seleção da América do Norte mostrou um futebol bem interessante, apesar de ter sofrido apenas derrotas em Copas do Mundo. Já o Marrocos terá de conseguir um bom resultado contra a Bélgica se quiser continuar no Catar.