Bolsonaro inaugura vice-consulado e faz motociata em Orlando

Em seu último compromisso nos EUA antes de retornar ao Brasil, o presidente brasileiro almoçou em uma churrascaria e em seguida falou com a imprensa

0
956
O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, com o Cônsul-Geral do Brasil em Miami, André Odenbreit, o vice-cônsul, Rodrigo Fonseca, e convidados, na inauguração do vice-consulado do Brasil em Orlando (Facebook/Consulado-Geral do Brasil em Miami)

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, esteve em Orlando no sábado (11) para a inauguração do vice-consulado brasileiro na cidade. No dia anterior, o mandatário participou da reunião Cúpula das Américas, em Los Angeles, onde se encontrou com o presidente Joe Biden.

Em seu discurso durante a inauguração, Bolsonaro enfatizou os laços de amizade que unem brasileiros e americanos e a cooperação entre os dois países nos quesitos econômicos e de segurança. Falando para o público que lotou as dependências da Igreja da Lagoinha, onde foi realizada a cerimônia, destacou sua luta pela liberdade e a defesa da democracia durante seus 28 anos como parlamentar, e três anos no Planalto. Arrancou aplausos ao falar que foi um dos poucos chefes de estado que não se vacinou durante a pandemia da covid-19.

Confiante em sua reeleição em novembro, defendeu as liberdades individuais, o direito de os cidadãos portar armas e afirmou que as pessoas devem ser responsáveis na hora de votar porque as políticas heterodoxas adotadas em outros países deixaram legados de pobreza.

O assunto que predominou na coletiva improvisada, após a inauguração, foram as questões relativas às próximas eleições. Segundo o brasileiro, os problemas nas apurações não são as máquinas, mas sim quem as opera. E citou a apuração realizada em 2018, na qual hackers ficaram oito meses dentro dos computadores. “Sete meses depois, foi divulgado que os arquivos foram apagados por uma empresa terceirizada. Com certeza estão ligados a gente poderosa”, disse. 

Embora admita não ter provas para denunciar algum tipo de manipulação nas apurações, Bolsonaro lembrou alguns fatores que, segundo ele, são indicativos de que o inquérito para apurar a lisura nas apurações já deveria ter sido concluído. “Se olharmos bem, nem deveriam ter sido realizadas eleições em 2020, porque o inquérito ainda continua inconclusivo”, afirmou o presidente.

Bolsonaro lembrou também a apuração na eleição presidencial de 2014. “Quando Dilma ultrapassa Aécio, as linhas ficaram paralelas e durante 241 minutos dava alternadamente vitória de um e de outro. Ou seja, era como se fosse jogada uma moeda, e desse cara e coroa alternadamente 241 vezes. Ou se eu pegasse um grão de areia daqui, jogasse em uma praia brasileira e este grão fosse encontrado”, comentou.

Sobre o encontro com Biden, disse que apesar do bom relacionamento estabelecido o americano não deverá fazer uma visita oficial ao Brasil tão cedo. “Independentemente disso, traçamos alguns planos que podem ser potencializados e favorecer os dois países”, comentou.

Poder do Supremo Tribunal Federal brasileiro

O mandatário ainda se queixou do que chama de ditadura do Judiciário, sobretudo em relação aos ministros do STF Luís Roberto Barroso, Edson Facchin e Alexandre de Moraes, e criticou a prisão do deputado Daniel Silveira. “Dei o indulto ao deputado porque ele foi condenado com base em fake news. Todo parlamentar tem direito à liberdade de expressão. E tem ainda o caso do blogueiro Allan Santos. Admito que ele falou besteira, mas bloquearam o salário da esposa dele, desmonetizaram páginas, derrubaram páginas. Isto é democracia? Para mim, isto é censura”, criticou.

Bolsonaro questionou até mesmo a carreira meteórica de Moraes. “Ele resolveu o caso de vazamento de umas fotos íntimas da esposa de Michel Temer, e logo foi promovido a ministro da Justiça. Depois, Temer o indicou para o STF. Por que esta premiação? Temer ficou chateado comigo quando comentei isso, mas é verdade”.

Bolsonaro chamou o ministro do STF, Luiz Roberto Barroso, de “mentiroso” e “sem caráter”, por jogar contra a lisura na apuração eleitoral. “Tínhamos votos suficientes para aprovar o processo de checagem dos votos. Aí ele foi ao Congresso e persuadiu os líderes dos partidos a mudarem os votos. Mesmo com a vitória, ficamos sem os votos necessários para implantar o processo de checagem. Quer dizer que a palavra de Barroso é a letra da Constituição?”

O presidente afirmou ser um defensor das eleições limpas, e descartou que incitaria seus seguidores a invadir o Congresso, a exemplo do que ocorreu nos Estados Unidos após a eleição de Biden. “Os institutos apontam 49% para Lula e 20% para mim. Se eu vencer a eleição, os seguidores de Lula fariam algo deste tipo?”, indagou.

Aproveitou para duvidar das pesquisas eleitorais, porque, segundo ele, Lula nem pode sair às ruas por medo de ser hostilizado. “Por fim, até para o Lula seria bom ter um sistema eleitoral auditado, porque, se vencer a eleição, ninguém contestaria” , finalizou. Antes de seguir para o aeroporto, o presidente ainda participou de uma “motociata” pelas ruas de Orlando

O Vice-Consulado

Antiga reivindicação dos brasileiros residentes na Flórida Central, o vice-consulado brasileiro em Orlando, nesta fase inicial de atendimento, disponibilizará os serviços de atestado de vida, Autorização de Retorno ao Brasil (ARB), autorização de viagem, autorização para concessão de passaporte a menor e registro de nascimento. Segundo o Itamaraty, o novo posto beneficiará cerca de 180 mil brasileiros residentes na região, e também facilitará a vida dos 800 mil turistas que a visitam anualmente. O vice-consulado é subordinado ao Consulado-Geral do Brasil em Miami, comandado pelo Cônsul-Geral, embaixador André Odenbreit.

O vice-cônsul Rodrigo Fonseca, que chefiará o posto, disse que recebeu a promessa do presidente Bolsonaro para dobrar o número de funcionários no atendimento. Neste começo de atividades, serão dezesseis funcionários encarregados de cuidar das necessidades dos brasileiros, residentes e turistas, na região.

A presidente do Conselho de Cidadãos da Flórida, Andrea Faria, disse que ficou surpresa com o tamanho e a qualidade das instalações do local, inaugurado oficialmente neste sábado (11). Além do presidente Bolsonaro, o evento contou com a presença do Cônsul-Geral do Brasil em Miami, André Odenbreit, e o prefeito de Miami, Xavier Suarez.

O Itamaraty disponibilizou informações online com detalhes sobre os serviços oferecidos no novo posto: http://miami.itamaraty.gov.br/pt-br/ e https://www.gov.br/mre/pt-br/vice-consulado-orlando

O vice-consulado em Orlando fica no número 355 da North Orange Avenue.