Bolsonaro quer liberar Exército para reintegração de posse no campo

Presidente também anunciou projeto de lei autorizando uso de arma para preservar propriedade

0
641
“A tropa não vai fazer relações públicas” (Foto: Isac Nóbrega/Palácio do Planalto)
“A tropa não vai fazer relações públicas” (Foto: Isac Nóbrega/Palácio do Planalto)

DA REDAÇÃO – O presidente Jair Bolsonaro anunciou, na segunda-feira, dia 25, que pretende enviar ao Congresso Nacional um projeto de lei para liberar ações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) para reintegração de posse no campo. O objetivo é liberar o uso de forças federais – como o Exército e a Polícia Federal – para retirar invasores de propriedades rurais.

A ideia é que o chefe do Executivo possa determinar a ação após uma decisão da Justiça. Lembrando que a medida não será imposta, pois passará por análise dos parlamentares, ele também anunciou outro projeto de lei, desta vez garantindo ao morador armado reagir contra quem invadir sua propriedade, seja em âmbito rural ou urbano.

Ao comentar a resistência de alguns políticos, o presidente disse que “a GLO não é uma ação social, não é chegar com flores na mão. É chegar para acabar com a bagunça”.  No Facebook, ele escreveu que “a tropa não vai fazer relações públicas, vai se impor, vai conter ações terroristas, depredação de bens, queima de ônibus, vai evitar que pessoas inocentes morram”.

De acordo com Bolsonaro, para enfrentar “esses marginais” é necessário o excludente de ilicitude – que ameniza e até isenta a pena de agentes que matam em serviço, por exemplo. “O que esses marginais, terroristas, têm de entender é que se o presidente baixar Garantia da Lei e da Ordem, melhor ir para a casa. Não vai ficar mais na rua praticando atos terroristas, depredando ônibus e ameaçando vida de inocentes”, declarou.