Brasil envia ajuda humanitária para Moçambique

Ciclone Idai atingiu Moçambique, Zimbábue e Malauí, já fez pelo menos 700 vítimas e este número deve aumentar

0
1755
Moçambique foi assolado por tragédia com mais de 700 mortos
Moçambique foi assolado por tragédia com mais de 700 mortos

DA REDAÇÃO – O governo brasileiro decidiu enviar dois aviões de transporte Hércules C-130, da Força Aérea Brasileira (FAB), para Moçambique, em caráter de cooperação humanitária.

A ação se dá no contexto da emergência humanitária gerada pelo ciclone Idai, que assolou o país africano no dia 14 de março, com ventos de mais de 170 km/h, provocou grandes inundações e deixou destruída 90% da cidade portuária de Beira, a segunda maior daquele país. O ciclone atingiu Moçambique, Zimbábue e Malauí, já fez, pelo menos, 700 vítimas, e este número deve aumentar, pois ainda há pessoas desaparecidas e desabrigadas. Só no Moçambique, há 1,85 milhão de pessoas em necessidade de ajuda humanitária

Nesta etapa inicial, a assistência humanitária do Brasil reúne equipes de resgate e salvamento da Força Nacional do Ministério da Justiça e Segurança Pública (20 especialistas em busca e salvamento, botes e outros equipamentos adaptados ao tipo de desastre que ocorreu naquele país) e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Minas Gerais (outros 20 especialistas e equipamentos correspondentes, inclusive veículos).

O Ministério da Saúde doou seis “kits” de medicamentos e insumos básicos de saúde, capazes de prover assistência emergencial para 9 mil pessoas, por até um mês.

Esse primeiro envio de assistência humanitária brasileira será transportado para a cidade da Beira (onde já se confirmam, segundo o governo de Moçambique, mais de 700 vítimas fatais) na próxima sexta-feira, dia 29, e tem previsão de chegada na tarde do dia seguinte.