Brasil está fazendo bonito no Pan de Lima, no Peru

Destaques foram as medalhas obtidas na ginástica masculina e no taekwondo

0
1544
Equipe brasileira de Taekwondo em Lima 2019 (Foto: Washington Alves/COB)
Equipe brasileira de Taekwondo em Lima 2019 (Foto: Washington Alves/COB)

A delegação brasileira está fazendo bonito nos Jogos Pan Americanos 2019 que estão sendo disputados em Lima. Até o momento foram conquistadas 40 medalhas, sendo 12 de ouro, 10 de prata e 18 de bronze. Assim, o Brasil ocupa no momento o terceiro lugar na classificação geral, atrás dos EUA com 80 medalhas (34 de ouro, 25 de prata, 21 de bronze) e do México (14 de ouro, 10 de prata e 26 de bronze). Posição registrada na quinta-feira, 1º de agosto.

Ginástica

A semana foi boa para o Brasil que conquistou medalha de ouro e de prata na ginástica masculina, com Caio Souza (ouro) e Arthur Nory (prata) nas provas individuais, além de dois ouros individuais de Chico Barreto. O Brasil já havia conquistado ouro por equipe também em ginástica no domingo (28). Vale destacar que Caio e Nory, que são amigos também fora dos ginásios, têm 25 anos e tiveram de superar cirurgia, no caso de Caio, que teve de operar o tornozelo dois meses antes da competição, e doença crônica na cartilagem do joelho, que causa muitas dores a Arthur Nory. Nada, porém, se compara à alegria de ostentar as medalhas em seus peitos. E Chico Barreto, de 29 anos, superou até a previsão do próprio filho de que ele traria duas medalhas de ouro. Na verdade, obteve três – duas individuais (salto sobre o cavalo e barra fixa) e outra por equipe. Aliás, o saldo foi impressionante. As expectativas apontavam um bom rendimento da ginástica artística do Brasil em Lima, mas não se esperava tanto. Foram 11 medalhas no total, com 4 ouros, 4 pratas e 3 bronzes, na melhor campanha da modalidade em Jogos Pan-Americanos. 

Canoagem

O baiano Isaquias Queiroz foi ouro na prova de Canoagem Velocidade C1 superando a revelação cubana Fernando Jorge e somando mais uma medalha em sua galeria. É grande esperança de medalha na Olimpíada de Tóquio no ano que vem. O tempo de 3m47s631 seria ouro nas Olimpíadas do Rio, em 2016, e mesmo no Mundial de Montemor, em 2018, entretanto, ele sabe que seus adversários estão bem preparados. 

Taekwondo

O taekwondo brasileiro mudou de patamar nos últimos anos. De coadjuvante com conquistas pontuais, a seleção passou a ter uma das melhores equipes do planeta. Isso foi mostrado no Campeonato Mundial, disputado em maio, em que o país conquistou cinco medalhas, e confirmado nos Jogos Pan-Americanos, com sete pódios em oito possíveis.

O Brasil fechou a sua melhor campanha na história do taekwondo em Jogos Pan-Americanos com a medalha de ouro de Milena Titonelli na categoria até 67 Kg. De quebra, a lutadora de 20 anos foi a primeira mulher do país a ser campeã da modalidade em Jogos Pan-Americanos. Nesta segunda-feira, os brasileiros conquistaram quatro medalhas. Além do título de Milena, Ícaro Martins (-80 Kg) perdeu na final e ficou com a prata, e Maicon Andrade (+80 Kg) e Raiany Fidelis (+67Kg) levaram o bronze. O Brasil termina com sete medalhas no taekwondo em Lima: dois ouros, duas pratas e três bronzes.

Triatlo

O triatlo brasileiro encerrou no Pan com o segundo ouro em três possíveis em prova que vai estrear nos Jogos Olímpicos de Tóquio: o revezamento misto. As potências do esporte são Estados Unidos, Austrália e Nova Zelândia, mas as americanas não trouxeram sua equipe principal para Lima, que poderia ter dado trabalho ao time formado por Luisa Baptista, Vittoria Lopes, Manoel Messias e Kauê Willy.

Foi o primeiro ouro do Brasil no Pan 2019 e é inédita também a medalha dourada na prova feminina de triatlo, um feito que fica para a história de Luisa Baptista. Mas a prova não tinha as principais adversárias das Américas. Estados Unidos e Canadá, potências do esporte, levaram atletas sem chances de ir a Tóquio e que nem disputaram as principais provas do circuito mundial. As melhores ranqueadas em 2019 eram justamente as medalhistas: Vittoria Lopes, que fez a dobradinha brasileira, é a 32ª, a mexicana Cecila Perez, que foi bronze, a 48ª, e a própria Luisa a 49ª.

Patinação artística

Foi também a primeira vez que o Brasil levou ouro na categoria feminina da patinação artística com o show apresentado por Bruna Wurts, que só não tem estrelas nesta avaliação, porque, infelizmente, a prova não é olímpica. Fica a celebração do Pan e a vitória sobre a argentina Gisele Soler, que buscava o bicampeonato, já que foi a campeã em Toronto 2015. Bruna é ainda a atual campeã sul-americana, título conquistado em abril deste ano, em Joinville.

Handebol feminino

Ao bater a Argentina na final pelo placar de 30 a 21, na terça-feira (30), o Brasil confirmou o favoritismo e assegurou medalha de ouro no handebol feminino, modalidade em que nosso país também é forte no masculino, que já iniciou sua caminhada em busca do ouro no Pan.

Brasileiros se dão bem em uma chave e mal em outra na Libertadores

Quando vocês estiverem lendo esta coluna já saberão quem são os oito quadrifinalistas da edição 2019 da Copa Libertadores da América. Infelizmente, esta edição foi fechada antes da realização da última partida das oitavas de final que reuniu Grêmio e Libertad do Paraguai em Assunção. Entretanto, as chances do Tricolor gaúcho eram muito boas, por ter vencido a partida de ida em Porto Alegre por 2 a 0. A se confirmar esta previsão, teremos um clube brasileiro na final do torneio.

As notícias alvissareiras desse lado da chave contrastam com as decepções do outro lado da chave, pois Cruzeiro e Athletico Paranaense foram eliminados pelos dois gigantes argentinos: River Plate e Boca Juniors, respectivamente.

Cruzeiro x River Plate

As definições das quartas de final começaram na terça-feira (30) no Mineirão lotado para empurrar o Cruzeiro rumo a mais uma classificação, pois a Raposa é uma das semifinalistas da Copa do Brasil. Entretanto, o que se viu em campo foi o predomínio dos Millonarios. 

Conforme o regulamento da competição, dois resultados iguais levam a decisão para a série de pênaltis. Os dois goleiros eram de alto nível. De um lado, Fábio, reconhecido como um dos melhores do futebol brasileiro e emérito pegador de pênaltis; de outro, Armani, goleiro titular da Seleção Argentina. Prevaleceu, porém, a categoria de Armani que defendeu os pênaltis cobrados por Henrique e David, enquanto todos os batedores argentinos converteram suas penalidades. Resultado final: River Plate classificado para as quartas de final, onde terá como adversário o Cerro Porteño, que eliminou o San Lorenzo. Ao Cruzeiro, resta voltar suas atenções para o Campeonato Brasileiro, onde faz uma campanha decepcionante a um ponto do Z4. Para piorar, terá pela frente o arquirrival Atlético Mineiro no Estádio Independência, no domingo (4).

Palmeiras x Godoy Cruz

Todos esperavam que o Palmeiras saísse com tudo para cima do Godoy Cruz. Depois do susto inicial em Mendoza, o empate em 2 a 2 salvou o Verdão. Com o apoio de sua torcida, que lotou o Allianz Parque em São Paulo, o que se viu no primeiro tempo foi uma partida morna sem qualquer jogada de perigo. A segunda etapa começou no mesmo diapasão, com os zagueiros do Godoy Cruz tocando bola na intermediária sem nenhuma intenção de partir para cima do adversário. 

Um pênalti para o Palmeiras, assinalado pelo árbitro uruguaio após a revisão pelo VAR, mudou o rumo da partida. Penalidade máxima, aliás, bastante discutível. Raphael Veiga cobrou com precisão e abriu o placar par ao time da casa. A partir daí, o cenário mudou. Borja, que jogou muito bem, se aproveitou de um vacilo da zaga e do goleiro para ampliar o placar. Gustavo Scarpa e Dudu completaram a goleada. Agora, deve duelar com o Grêmio por uma vaga em uma das semifinais do torneio. Pelo Brasileirão, o Verdão terá um grande desafio pela frente, porque a tabela indica Corinthians x Palmeiras no domingo (4), no Itaquerão.

Internacional x Nacional

Após ter obtido uma vitória por 1 a 0 (gol de Guerrero) sobre o Nacional em Montevidéu no jogo de ida, o Colorado recebeu o tradicional clube uruguaio em Porto Alegre e voltou a vencer, desta vez por 2 a 0 (gols de Rodrigo Moledo e Paolo Guerrero) no Beira Rio. O clube de Porto Alegre dominou amplamente a partida diante de um Nacional totalmente sem forças e fraco tecnicamente. A torcida que tingiu de vermelho o Beira Rio nem precisou sofrer para ver seu time se classificar para as quartas de final, onde enfrentará o Flamengo.

Virando a chave, o Inter jogará no sábado (3) no Maracanã com o Fluminense pelo Brasileirão. Será um duelo entre dois extremos, porque o Colorado tenta se aproximar dos líderes, enquanto o Flu luta para sair da Zona de Rebaixamento.

Flamengo x Emelec

Após ter sido derrotado por 2 a 0 em Guayaquil pelo Emelec, o jogo de volta se prenunciava difícil para o Rubro-negro carioca. Entretanto, aos 20 minutos do primeiro tempo, o Fla já vencia por 2 a 0, igualando o placar registrado no Equador. Gabriel Barbosa assinalou os dois gols – o primeiro de pênalti, marcado após uma falta discutível sobre Rafinha confirmada pelo árbitro, e outro aproveitando o cruzamento de Bruno Henrique.

Apesar de estocadas de parte a parte, o placar permaneceu inalterado e a decisão foi para os pênaltis. Todos flamenguistas converteram suas cobranças (Arrascaeta, Bruno Henrique, Renê e Rafinha) enquanto Diego Alves defendeu a cobrança de Arroyo e Queiroz chutou na trave. Nas quartas de final, Flamengo vai medir forças com o Internacional. Pelo Brasileirão, o time carioca joga em Salvador contra o Bahia.

Boca Juniors x Athletico Paranaense

Deu a lógica. Após ter sido derrotado em Curitiba pelo Boca Juniors por 1 a 0, o Furacão não resistiu à pressão da torcida em La Bombonera e sucumbiu diante da equipe Xeneize por 2 a 0, gols de Salvio e Ábila. O time de Buenos Aires dominou as ações e consagrou o goleiro Santos, autor de várias defesas difíceis, que não impediu a derrota do Rubro-negro paranaense. Agora, o Boca Junios enfrentará a LDU de Quito, que eliminou o Olimpia do Paraguai.

O Furacão, por sua vez, recebe o São Paulo na Arena da Baixada na segunda-feira (5), em um duelo por posições pois apenas dois pontos separam as duas equipes.

Fluminense x Peñarol

O Fluminense pode estar mal no Brasileirão, mas vem fazendo boa campanha na Copa Sul Americana. Na terça-feira (30), no Maracanã, derrotou o Peñarol por 3 a 1, com dois gols de Marcos Paulo e um de Yoni Gonzalez, e de Viatri para o time uruguaio. Como já havia derrotado o adversário por 2 a 1 em Montevidéu, ficou com a vaga para as quartas de final da competição, onde provavelmente jogará com o Corinthians que deve ter eliminado o Montevideo Wanderers na quinta-feira (1º) no Uruguai, pois bateu o adversário em São Paulo por 2 a 0.

Virando a chave, o Flu que luta para sair da Zona de Rebaixamento jogará no sábado (3) no Maracanã contra o Inter. 

Atlético Mineiro x Botafogo

Com gols de Vinicius e Fábio Santos, o Galo derrotou o Botafogo por 2 a 0 e garantiu sua passagem para as quartas de final da na Copa Sul Americana, onde enfrentará a equipe colombiana La Equidad. Como já havia vencido a primeira partida da série por 1 a 0 no Rio de Janeiro, todos achavam que o Alvinegro de Belo Horizonte controlaria a partida disputada na quarta-feira (31) no Estádio Independência. Entretanto, o que se viu em campo foi um futebol bem jogado pelo Alvinegro carioca que incomodou o time mineiro. 

O esforço, porém, não foi compensado e agora o Botafogo volta suas atenções para o Campeonato Brasileiro, a única competição que lhe resta. No domingo (4), viaja a Florianópolis para enfrentar o Avaí, lanterna da competição sem ter vencido nenhuma partida em 12 rodadas. Já o Galo tem o clássico com o Cruzeiro.