Brasil está entre as nações que vão receber vacinas doadas pelos EUA

Anúncio foi feito pelo presidente Joe Biden nesta quinta-feira (3); Primeiro lote com 25 milhões de doses será enviado a 40 países

0
1538
O presidente Joe Biden comenta a resposta de sua administração ao coronavírus (COVID-19) (Foto: REUTERS/Carlos Barria)
O presidente Joe Biden comenta a resposta de sua administração ao coronavírus (COVID-19) (Foto: REUTERS/Carlos Barria)

O presidente Joe Biden anunciou, nesta quinta-feira (3), que vai doar 25 milhões doses de vacina a mais de 40 países, entre eles o Brasil. O objetivo é distribuir 80 milhões de dose de imunizantes contra a covid-19 até o final deste mês. 

Pelo menos, 75% dessas vacinas serão distribuídas aos países do programa denominado Covid-19 Vaccines Global Access, o Covax, e 25% a países que estão com altos índices de infecção pelo coronavírus, como o Brasil.

“Nós estamos distribuindo essas vacinas não para fazer favores ou concessões. Estamos doando essas vacinas para salvar vidas e ajudar o mundo a acabar com essa pandemia”, disse Joe Biden. 

As remessas destinadas ao Brasil serão entregues por meio da aliança Covax, da Organização Mundial da Saúde (OMS), que vai gerenciar a distribuição. Não há informações sobre o número exato que será enviado ao Brasil. 

Seis milhões de doses serão enviadas para a América do Sul e América Central, entre eles: Brasil, Argentina, Colômbia, Costa Rica, Peru, Equador, Paraguai, Bolívia, Guatemala, El Salvador, Panamá, Haiti, Comunidade do Caribe e República Dominicana.

Sete milhões serão mandadas a Ásia: Índia, Nepal, Bangladesh, Paquistão, Sri Lanka, Afeganistão, Ilhas Maldivas, Malásia, Filipinas, Vietnã, Indonésia, Tailândia, Laos, Papua Nova Guinea, Taiwan, e as Ilhas do Pacífico.

Cinco milhões para a África, distribuídas entre os países selecionados em coordenação com a União Africana.

As outras seis milhões de doses disponíveis neste primeiro lote enviado pelos EUA serão distribuídas entre parceiros regionais dos americanos como o México, Canadá, e a Coreia do Sul, além de países com surtos da doença como a Cisjordânia, Gaza, Ucrânia, Kosovo, novamente o Haiti, Geórgia, Egito, Jordânia, Iraque, Iêmen – parte também será enviada aos trabalhadores da linha de frente das Nações Unidas. (Com informações da CNN e G1).