Brasil tem 4.371 casos de coronavírus e 141 mortos

País é o décimo oitavo em número de casos no mundo, mas a doença avança rapidamente. O primeiro caso foi reportado no dia 26 de fevereiro no Brasil

0
779
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta,atualiza dados em coletiva de imprensa sobre à infecção pelo novo coronavírus no Brasil (Foto Marcello Casal - Agência Brasil)

Dados divulgados pelas secretarias estaduais nesta segunda-feira (30) mostram que o Brasil tem 4.371 casos confirmados do novo coronavírus (Sars-Cov-2) com 141 mortos, 98 deles em São Paulo. As informações são do G1. 

A secretaria estadual de Saúde do Rio Grande do Sul confirmou a terceira morte nesta manhã. Já o governo de Minas registrou a primeira morte pela doença e o numero de casos chegou a 261.

No Distrito Federal, subiu para 301 o número de casos. Em Mato Grosso, nova atualização da secretaria aponta 16 casos. No Amapá, o número de casos dobrou e chegou a 8. Goiás já tem 60 casos da doença confirmados. Na Paraíba já são 15 casos e o Pará tem 21 casos. O Rio Grande do Norte registrou mais nove casos nesta manhã e o número total de infectados passou para 77.

Em São Paulo, duas mortes foram confirmadas: uma por um hospital e outra por uma universidade, somando 98. Os casos ainda não foram contabilizados pela secretaria.

O Rio de Janeiro confirmou mais 42 casos e quatro mortes neste domingo. O total é de 17 mortes e 600 casos no estado.

De acordo com o Ministério da Saúde, 59 óbitos ocorreram com em pessoas com algum tipo de cardiopatia. “Essa é uma doença que às vezes apresenta poucos sintomas. Mas ao se prolongar ela cansa as pessoas. Temos muitos relatos de pessoas que se dizem cansadas por causa dela. Por isso, em pacientes com cardiopatias, o coração não aguenta. É um vírus que cansa o corpo depois de dias”, disse o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

O avanço da doença está acelerado: foram 25 dias desde o primeiro contágio confirmado até os primeiros 1.000 casos (de 26 de fevereiro a 21 de março). No entanto, os outros 2.000 casos foram confirmados em apenas seis dias (de 21 a 27 de março).