Brasileira cidadã americana luta para libertar marido preso pelo ICE

O casal estava em processo na Imigração; Laene está tendo dificuldades para sustentar os dois filhos sem ajuda do marido

0
1634

A vida da brasileira Laene, que vive em Frahminghan (MA), não tem sido fácil desde que o marido (nome não revelado) foi preso há oito meses pelo ICE – US Immigration and Customs Enforcement – que cumpriu uma ordem de deportação expedida contra ele. Ele estava saindo de casa para o trabalho e foi preso.

Laene mora nos EUA desde 2000, é cidadã americana, tem uma filha de 11 anos e se casou com o marido também brasileiro em novembro de 2013. O casal tem um bebê de três meses que o pai conhece das visitas na prisão.

Quatro meses depois do casamento, eles deram entrada na Imigração com os papeis para que ele recebesse o green card. Laene sabia que ele tinha um processo pendente desde 2006 quando foi pego dirigindo sem habilitação em New Hampshire. “Desde então, ele compareceu a todas as audiências e nunca cometeu nenhum crime. Ele se mudou para Boston a trabalho onde nos conhecemos”, explicou Laene.

A brasileira disse que o casal contratou um escritório de advocacia em Massachusetts para cuidar do caso do seu marido em março de 2014. Segundo ela, o advogado só mexeu no caso em junho e já havia uma ordem final de deportação emitida. “Ele perdeu duas audiências na Corte e nós não sabíamos. Ficamos sabendo três meses depois. Já tínhamos gasto quase $5 mil e decidimos permanecer com o mesmo advogado. Ele nos garantiu que meu marido não seria preso e que conseguiria reverter a decisão do juiz. Hoje sabemos que é muito complicado reverter uma ordem final de deportação”, disse Laene.

O curioso nessa história é que, logo depois que o brasileiro foi preso, a imigração enviou para a casa do casal a aprovação do casamento dos dois. “É tudo muito triste. Tínhamos acabado de comprar uma casa juntos, ele sempre foi um homem trabalhador e eu também. Desde que isso aconteceu, meu mundo desabou. Não consigo pagar as contas, estou vivendo de ajuda. Não está sendo fácil”, disse a brasileira natural de Goiás.

Hoje, com outra advogada, Laene tem esperança que o marido seja libertado sem a necessidade de voltar ao Brasil por que isso, segundo ela, tornaria a situação ainda mais complicada para ele voltar.

Apoio da comunidade
A comunidade brasileira tem se mobilizado para ajudar Laene e família. No mês passado foi realizada uma rifa em benefício da família e os amigos têm feito o possível para ajudar. Ela pede que quem puder ou quiser colaborar com dinheiro, roupas, fraldas, utensílios domésticos ou qualquer outro tipo de ajuda pode entrar em contato com ela pelo telefone (617)-395-8077 ou pelo email laene31@gmail.com.