Brasileira dedica vida a capturar cobras e jacarés nos Estados Unidos

Bióloga com mestrado em zoologia no Alaska, Camila hoje vive na Flórida e conta que já ficou quatro dias em coma por ter sido picada por uma cascavel

0
10321
A corajosa brasileira que ama os répteis
A corajosa brasileira que ama os répteis

A bióloga brasileira Camila Bozza, de 33 anos, dedica sua vida a uma paixão de infância: os animais, mais especificamente, cobras e jacarés. Camila nasceu em Campinas (SP) onde se formou em biologia. Há 12 anos, ela resolveu vir para os EUA estudar zoologia em Anchorage, no Alaska, e por lá ficou por dez anos até vir para Tampa (FL) para trabalhar no zoológico do Busch Gardens. Hoje ela não trabalha mais para o parque e é voluntária na captura de cobras e jacarés. Na Flórida, a bióloga encontrou um paraíso, já que o Estado tem milhares desses animais espalhados por seus 67 condados. Camila atende a chamados para capturar cobras que aparecem em quintais e residências.

Ela esteve presente, inclusive, junto à equipe de resgate de um menino de cinco anos que faleceu ao ser arrastado por um jacaré num resort da Disney em Orlando em junho de 2015.

A brasileira se destaca tanto no que faz que chamou a atenção do canal de TV “National Geographic” e no último final de semana gravou um programa com o biólogo e apresentador brasileiro Richard Rasmussen, conhecido no Brasil por sua destemida relação com animais selvagens e peçonhentos. Assim como Camila que se declarou fã do colega de profissão. “Tive a oportunidade de estar ao lado do meu ídolo aqui na Flórida. Admiro o Richard como profissional e como apresentador, ele me deixou muito à vontade e acho que o programa ficou bem legal”, comentou.

Camila também já é reconhecida pela comunidade como ‘a menina das cobras’. “Se vou em mercado brasileiro ou mesmo na Disney eu tiro foto e dou autógrafo. Eles falam: olha a menina das cobras”, diverte-se.

Camila conta que ainda no Brasil quando fazia estágio num zoológico de Campinas, ela tinha o sonho de trabalhar com tubarões brancos. “Este sonho acabou quando minha orientadora me mandou para o serpentário vizinho e me apaixonei pelo fascinante mundo das cobras”. Ela conta que já foi picada por uma cascavel “que perfurou minha mão com apenas um dente” e a jovem ficou em coma por quatro dias. Se ela ficou traumatizada? “Muito pelo contrário, passei a gostar ainda mais desses animais. O fato de uma gota de veneno fazer tamanho estrago é muito interessante”, completou a bióloga. Camila trabalha com mais de 800 cobras peçonhentas extraindo o veneno, profissão que é reconhecida como uma das mais perigosas do mundo.

Em casa, ela tem cinco cobras de estimação que não são venenosas, mas ela quer voltar a ter essas espécies. O que pode parecer estranho ou dar medo em muitas pessoas, é o que move Camila a alçar voos cada vez mais altos. Sua coragem, determinação e com um trabalho no mínimo curioso, Camila recebeu um convite para fazer um programa de televisão que terá estreia em 2017, em um canal a cabo do Brasil.

Curiosidade

Nos últimos 10 anos, a Florida Fish and Wildlife Conservation Commission recebeu cerca de 16.000 queixas sobre jacarés e crocodilos por ano no estado. A maioria das reclamações acontece quando os animais resolvem dar uma volta pelo quintal de uma casa de frente para lagos, canais, valas, córregos etc. Mas há também os casos dos jacarés que são encontrados nas piscinas das casas, andando nas garagens e atravessando campos de golf. Muitas dessas vezes os jacarés estavam apenas se locomovendo para relaxar ao sol ou trocando de lago. E, se não perturbados, provavelmente esses animais voltariam sozinhos para o seu habitat natural deixando os humanos de lado. Fonte: blog Mudei para Orlando.

A bióloga Camila Bozza hoje vive na Flórida
A bióloga Camila Bozza hoje vive na Flórida