Brasileiras fazem vaquinha online para ajudar grávida vítima de violência sexual na Flórida

O objetivo é arrecadar sete mil dólares para cobrir as despesas de parto natural e outros custos necessários para o bebê. O preço inicial de um parto natural da Flórida é em torno de $ 8 mil.

0
1373
Campanha Solo Mamma in Nerd, gofundme.com
Campanha Solo Mamma in Need, gofundme.com

Um grupo de brasileiras que moram na Flórida criou uma conta no site de arrecadações Go Fund Me para ajudar uma conterrânea que engravidou após sofrer violência sexual do ex-parceiro. No total, elas planejam arrecadar sete mil dólares para ajudar com as despesas de parto, incluindo a contratação de um parteira, enxoval do bebê, entre outros custos.

A descrição da campanha “Solo mamma in need” na página do Go Fund Me, explica que a grávida de oito meses vive há  2 anos na Flórida, e não tem familiares próximos que possam dar suporte. 

“Sua gravidez é fruto de uma violência doméstica. Vítima de tamanha crueldade, sozinha, com diversos traumas provocados por abusos de todo os tipos vindo do progenitor do bebê” diz Tyhena Cook , uma das organizadoras da vaquinha online.

A gestante não terá sua identidade revelada por motivos de segurança dela e do bebê. Segundo Tyhena, ela está recebendo ajuda do governo americano para o  pré natal , bem como apoio psicológico para tratamento de estresse pós traumático e acompanhamento de enfermeiras. “Os custos do parto, entretanto, não serão cobertos de forma nenhuma”, diz.

Com a pandemia de Covid-19, e a possibilidade de não ser sequer permitida a entrada de acompanhantes na sala de parto, e dada a fragilidade emocional da futura mãe, a ideia é que o parto seja realizado em casa, com a presença de profissionais experientes e completamente alinhado aos protocolos médicos obstetrícios.

Um parto natural hoje em dia na Flórida, tem o custo médio de $8,000 se não houver nenhuma complicação. Em um hospital, este preço inicial pode ser até o dobro.  

Doulas

O nascimento do bebê também terá a participação das doulas, um tipo de profissional em ascendência no mercado obstétrico.  As doulas não são parteiras nem enfermeiras, mas prestam apoio emocional à gestante durante o parto,  ajudam com exercícios para aliviar as dores, técnicas de respiração e posições para  ajudar a relaxar para o trabalho de parto e o parto em si.  Apesar de o trabalho das doulas ser remunerado, a  idealizadora da campanha, Tyhena Cook, que atua como doula, disse que prestará serviços voluntárias para ajudar no caso em questão.

Ela também informou que integra um grupo de doulas voluntárias que ajudam grávidas em situação de vulnerabilidade social, durante o pré e pós parto. “O projeto voluntário consiste em auxiliar mulheres, levando suporte físico e emocional, durante a gestação e puerpério”disse.

Até o momento, a campanha arrecadou $ 2,187 dólares. Para fazer uma doação, clique aqui