Brasileirinhas da Flórida recebem o carinho da comunidade

Bella e Luna têm condições raras e dependem da solidariedade dos outros

0
2624
Bella, de 4 anos, foi diagnosticada com um tipo raro de leucemia e sonha em ser bailarina; Na Rússia, após as primeiras cirurgias para a retirada no nevo, Luna mostra que é uma guerreira
Bella, de 4 anos, foi diagnosticada com um tipo raro de leucemia e sonha em ser bailarina; Na Rússia, após as primeiras cirurgias para a retirada no nevo, Luna mostra que é uma guerreira

DA REDAÇÃO – No mês marcado por ações voltadas à saúde da mulher, o Outubro Rosa, duas menininhas da nossa região foram o alvo principal da solidariedade e apoio do nosso povo. Os brasileiros da Flórida provaram mais uma vez que podem fazer a diferença, mostrando a duas famílias locais que elas não estão sozinhas em suas batalhas: Bella Chloe, de 4 anos, e Luna Fenner, que acabou de completar sete meses de vida, experimentaram o melhor da comunidade.

Bella, que mora em Orlando, foi diagnosticada há menos de um mês com um tipo raro de leucemia, que atinge uma ou duas crianças em um milhão. Em meio às transfusões e ao duro tratamento no hospital Arnold Palmer, na Flórida central, a pequena de olhinhos expressivos e que sonha em ser bailarina busca um doador compatível de medula óssea (células de sangue). As maiores chances estão entre os brasileiros, já que compartilhamos do mesmo DNA, só que infelizmente ainda não foi encontrado o ‘match’ que possa dar à Bella uma segunda chance na vida. E terá que ser um doador não-relacionado, pois outro filho do casal não é compatível.

A comunidade atendeu ao chamado da família e da Fundação Icla da Silva: somente no mês de outubro, mais de 1.300 brasileiros se registraram em campanhas presenciais ou pela Internet, para o registro de possíveis doadores. Para fazer parte do banco é preciso ter entre 18 e 44 anos e passar dois cotonetes na parte interna da bochecha. “Eu jamais imaginei que estaria nesta situação. Muito pelo contrário – esperava receber uma ligação dizendo que eu poderia ser a doadora para salvar uma vida, já que eu me registrei há mais de 10 anos”, disse Nayara Carvalho. Com muita fé, ela e o marido Jairo esperam agora ouvir do médico que a cura da Bella está a caminho.

A condição de Luna não representa um risco imediato à sua saúde: conhecida como nevo melanocítico congênito (NMC), a lesão deixa pintas escuras na pele e afeta menos de 1% dos recém-nascidos. Logo após o nascimento da primeira filha, o casal Carolina e Thiago Fenner percebeu, porém, um mal que machuca tanto quanto o câncer no sangue: o preconceito. “Quero que o mundo saiba mais sobre o NMC e aprenda a não agir com indiferença só porque acha que alguma coisa não é normal”, desabafou a mãe de Luna, em uma rede social. Nos sete meses seguintes, a família também tem lutado para levantar fundos para pagar as diversas cirurgias que precisam ser feitas antes que Luna complete três anos de idade.

Em entrevista pelo telefone da Rússia, onde está com ‘Baby Luna’, Carolina contou que as primeiras cirurgias foram um sucesso. “O médico russo retirou com uma máquina especial as manchas da testa e dos olhos, e depois precisou fazer uma cirurgia de cunho mais estético para remover a pele. Ela tem sido uma guerreira”, descreve a mãe, dizendo que a recuperação da filha está ótima. A notícia preocupante ficou por conta de uns melanomas (câncer de pele) em outras partes do corpo, que deverão ser removidos na próxima intervenção, em novembro, antes de voltarem da cidade de Krasnodar, a três horas de avião de Moscou, no início de dezembro. Em 2020, estão agendadas as operações mais complicadas, na bochecha.

Aqui no sul da Flórida, durante o fim de semana do Brazilian Fest, Thiago e um grupo de amigos organizaram uma campanha de arrecadação de dinheiro para cobrir parte dos gastos, vendendo camisetas, bonequinhas e outros produtos com o rostinho de Luna. “Arrecadamos mais de quatro mil dólares e recebemos muitas palavras de solidariedade”, vibrou Thiago, que mora em Pompano Beach. No entanto, o valor total arrecadado até agora nesses meses não chega a um terço dos 150 mil dólares necessários para cobrir todas as despesas.

Faça a diferença e ajude estas duas famílias a superar este momento difícil!

Como ajudar

Bella
Registre-se como doador:
www.join.bethematch.org/AMOR
Informações: (646) 385-0671

Luna
Doações financeiras: https://www.gofundme.com/f/lunalovehope
Informações: @luna.love.hope (Instagram)