Brasileiro passa mal em presídio e morre em Hartford (CT)

Família conseguiu arrecadar $6 mil para levar corpo para o Brasil; jovem morava nos EUA desde 2007

0
7569
Rubens Gonçalves morreu no dia 10 de março em CT
Rubens Gonçalves morreu no dia 10 de março em CT

DA REDAÇÃO, COM G1 – A família do brasileiro Rubens Ferreira Gonçalves, de 29 anos, morto no último dia 10 de março em um hospital de Hartford, em Connecticut, conseguiu $6 mil para transportar o corpo para Goiás, onde vive a família. A família informou que Rubens teve um aneurisma cerebral na penitenciária onde estava preso desde o ano passado, por ter se envolvido em um acidente e estar sem documentos.

“A família está toda abalada, a gente fica de mãos atadas. Ele era um rapaz muito alegre, extrovertido, não tinha nenhuma demonstração que tinha doença, era sadio e, de repente, acontece isso, é triste, a gente está desesperado. Ninguém merece passar pelo que estamos passando”, lamentou ao G1 a técnica em enfermagem Marta Ferreira da Silva Gomes, de 40 anos, tia do rapaz.

Rubens veio para os EUA em setembro de 2007. “Ele tinha o sonho de crescer na vida, de dar melhores condições financeiras para a família”, relatou a tia.

Antes de ser preso, o carpinteiro morava com um amigo em Stamford, no mesmo estado. Há três anos, Rubens se envolveu em um acidente de carro, que só teve danos materiais. Como estava sem documentos, ele fugiu do local. “Como estava ilegal, não esperou a polícia chegar e foi embora porque até os documentos do Brasil foram roubados. Estava ilegal mesmo. Pela placa do carro, acharam onde ele morava, levaram intimação para comparecer à Corte, mas não foi, pois ficou com medo de ser preso”, disse a tia.

Em setembro de 2016, Rubens foi preso no metrô ao ser identificado pelo sistema de monitoramento. A tia relatou que o sobrinho, que estava preso na cadeia de Stamford, apresentou um problema mental e foi transferido para uma penitenciária com tratamento psicológico. Uma semana depois, na última quinta-feira (9), ele passou mal.

“Nos contaram que ele foi tomar banho e, como estava demorando, entraram no banheiro e o encontraram desmaiado. Levaram ele para o hospital e, no hospital, constataram que ele tinha dado um aneurisma. O cérebro estava com muito sangue, e iam drenar para ver se ele correspondia ao estímulo. Ele não correspondeu e, na sexta-feira, constataram a morte cerebral dele”, lamentou a tia.