Brasileiro morre em combate na Ucrânia e família diz não ter como repatriar corpo

André Hack Bahi, de 43 anos, foi morto por soldados russos no domingo (5) em uma batalha em Sieverodonetsk, informou o Itamaraty

0
1852
André Hack Bahi tinha 43 anos e estava morando em Portugal (foto: Instagram)

A Embaixada do Brasil em Kiev confirmou na sexta-feira (9) que o combatente brasileiro André Hack Bahi, 43, que atuava entre os aliados das tropas ucranianas na guerra contra a Rússia foi baleado durante um confronto e morreu. André se voluntariou para lutar na guerra do leste europeu através da organização Legião Internacional de Defesa Territorial da Ucrânia. A batalha que o vitimou ocorreu em Sieverodonetsk, no leste do país, e as autoridades confirmaram que os tiros partiram de soldados russos.

A família agora luta para repatriar o corpo para o Brasil. A irmã Letícia Bahi disse à BBC News que ele foi levado para um necrotério em Sieverodonetsk, mas os confrontos vêm se intensificando na área e está cada vez mais difícil retirá-lo do local. Segundo ela, os familiares têm tentando contato com autoridades brasileiras e ucranianas, mas as informações obtidas são imprecisas. “Ainda não sabemos como vai ficar. Ao que parece, o Itamaraty não pode pagar por isso. E a embaixada da Ucrânia diz que quem tem essas informações é o Itamaraty. Estamos desolados”, lamenta. “Ele foi pra guerra salvar vidas, lutar por um país. Mas, agora, quem é que vai trazer ele de volta?”, indaga Letícia.

O brasileiro teria desembarcado em Kiev no dia 28 de fevereiro, apenas quatro dias após a invasão pelo exército de Vladimir Putin. Formado em enfermagem pela Universidade do Ceará, ele tinha experiência militar e ultimamente estava morando em Portugal.

Em nota, o Itamaraty desaconselha “enfaticamente deslocamentos de brasileiros à Ucrânia, enquanto não houver condições de segurança suficientes no país”.