Brasileiro salva adolescente que se afogava em Clearwater

Quatro pessoas da mesma família foram levadas pela correnteza e um homem morreu

0
1408
Legenda: Rodrigo colocou em prática o que aprendeu no curso de salvamento
Legenda: Rodrigo colocou em prática o que aprendeu no curso de salvamento

O estudante brasileiro Rodrigo Santa Maria, 16 anos, salvou um rapaz que se afogava na praia de Clearwater, na Flórida, na última segunda-feira. O mar estava agitado quando o jovem avistou um grupo já demonstrando cansaço, numa área mais afastada da arrebentação. Rodrigo, que estava na beira da água, nadou até o local e conseguiu resgatar um adolescente até a areia.

Nesse momento, os salva-vidas foram acionados e resgataram os outros três integrantes do grupo, todos da mesma família. Um deles, Thanh Nguyen, de 55 anos, não resistiu e, apesar dos esforços da equipe de salvamento, que prestou os primeiros-socorros, morreu a caminho do hospital. O homem, de origem vietnamita, morava em Atlanta e passava férias em Clearwater.

“Foi tudo muito rápido. Quando olhei eles estavam se afogando. Quando morava no Rio de Janeiro fiz um curso de salvamento e acabei colocando em prática hoje tudo o que aprendi naquela época”, contou Rodrigo, ao ACHEIUSA. Ele é de Weston, mora na Flórida há 5 anos, e também aproveitava as férias de verão com a família naquela praia.

A semana, aliás, foi agitada em Clearwater, já que no domingo os banhistas presenciaram outro incidente. Um raio atingiu dois homens que estavam entre a linha d’água e a areia.  Eles foram levados para o hospital, segundo a polícia local, e liberados em seguida.

A Flórida lidera o número de mortes por raio nos Estados Unidos, que acontecem com frequência entre o fim da primavera e o verão, justamente no período de tempestades. Com relação a afogamentos (na praia, piscina, rios ou lagos), a Flórida fica atrás apenas dos estados do Havaí e da Louisiana em ocorrências do tipo. No entanto, segundo dados do departamento de saúde local, as mortes por afogamento no Sunshine State este ano aumentaram em mais de 70% em comparação ao mesmo período de 2019.