Brasileiros em Massachusetts defendem Bolsonaro e rejeitam Trump, mostra pesquisa

“Os brasileiros desta região colocam Trump e Bolsonaro em campos opostos”, afirma o coordenador da pesquisa encomendada pela revista Época

0
1691
Trump e Bolsonaro são colocados em campos opostos em MA
Trump e Bolsonaro são colocados em campos opostos em MA

A revista Época divulgou esta semana uma pesquisa inédita, encomendada ao instituto Ideia Big Data, sobre a eleição de Jair Bolsonaro na comunidade brasileira que vive na região de Boston, Massachusetts. O levantamento mostra que os brasileiros que elegeram Jair Bolsonaro com 81.7% dos votos veem Trump e o brasileiro em campos opostos.

Bolsonaro já reconheceu publicamente sua admiração por Trump. Quando confrontada com frases de ambos, mas sem que a autoria das sentenças fosse previamente atribuída, a maioria dos entrevistados credita ao americano frases que foram ditas pelo presidente eleito brasileiro.

“Os brasileiros desta região colocam Trump e Bolsonaro em campos opostos”, afirmou Maurício Moura, presidente da Ideia Big Data. “Os eleitores brasileiros em Boston acreditam que Bolsonaro vai trazer a ordem para o Brasil, enquanto Trump trouxe muita incerteza”, disse o coordenador da pesquisa à revista.

O levantamento foi feito por telefone com 351 brasileiros que residem nas cidades de Boston, Framingham, Somerville e Cambridge — área de Massachusetts que abriga cerca de 400 mil imigrantes do Brasil. Indica que 59% avaliam negativamente o governo Trump, enquanto apenas 8% o aprovam e 33% não aprovam nem desaprovam. Já Bolsonaro é visto como um político positivo por 61% dos entrevistados, enquanto 29% não o aprovam e 10% são neutros em relação ao presidente eleito. A margem de erro é de 2,85 pontos percentuais.

A pesquisa indica que 63% desses eleitores brasileiros afirmam não ver semelhança entre as ideias de Bolsonaro e as de Trump, enquanto apenas 15% veem semelhança entre os dois e 22% não sabem opinar.

A maioria dos brasileiros (85%) diz que as políticas dos republicanos não melhoraram a vida daqueles que moram nos EUA. Para 79% dos entrevistados, o pior do governo Trump é a imigração, seguidos pelos 11% que indicam ser a saúde e pelos 4% que apontam a política externa — 6% indicaram outros temas. A comunidade brasileira na região de Boston é muito evangélica, e, quando Bolsonaro foi visitar a região, foi recebido por todos os líderes locais.

Nos EUA, Bolsonaro recebeu 42.937 votos no segundo turno, ou seja, 81,7% dos 52.554 votos válidos registrados em 28 de outubro. Em Miami, foi quase unanimidade: recebeu 10.441 dos 11.469 votos válidos, ou seja, 91,04%. Bolsonaro liderou com folga, com mais de 60% dos votos, nas nove cidades americanas onde os brasileiros puderam votar: Atlanta, Boston, Chicago, Hartford, Houston, Los Angeles, Miami, Nova York, San Francisco e Washington. (Com informações da revista Época).