Brazil Expo Florida movimenta empresas brasileiras em Fort Lauderdale

Centenas de expositores aproveitaram a feira para fazer bons contatos e mostrar seus produtos e serviços, além de assistir a palestras

0
1280
Expo-Brasil-Florida reuniu dezenas de empresários no último fim de semana

O corte da fita no palco selou a abertura oficial da segunda edição da Brazil Expo Florida no sábado, 28 de setembro, no Broward Convention Center. A feira mostrou crescimento significativo em relação à edição do ano passado e vem ganhando paulatinamente relevância dentro do cenário empresarial do Sul da Flórida, sobretudo junto aos empresários brasileiros que encontraram um ambiente propício para mostrar seus produtos e serviços. Mais do que isto, puderam assistir a várias palestras informativas que podem auxiliá-los a melhorar o desempenho de suas companhias.

A se lamentar, apenas o fato de as exposições serem simultâneas à feira, em uma sala isolada. Infelizmente, não dá para acompanhar as palestras porque os expositores precisam estar nos stands para atender o público. Restou, então, selecionar as palestras de maior interesse para assistir. Esta sala, aliás, foi o local escolhido para cerimônia de abertura que contou com presença do cônsul geral do Brasil em Miami, embaixador João Mendes Pereira; do senador Luis Girão, do Podemos (CE); do vice-governador de Mato Grosso do Sul, Murilo Zauith; do vice-prefeito de Broward County, Dale V.C. Holness, entre outras autoridades. Todos agradeceram o empenho do casal Marcos Aguirre e Patricia Machado, organizadores da Brazil Expo Florida.

Percorrer os diversos stands foi um exercício de conhecimento das mais diversas atividades exercidas pelos criativos empresários brasileiros. E os visitantes demonstravam verdadeiro interesse por aquilo que estava sendo exposto. Cabia, então, aos proprietários e funcionários das companhias explicar as vantagens dos produtos e/ou serviços espalhados por dezenas de stands.

GBI oferece almoço a convidados

O Global Business Institute (GBI), grupo de empresários brasileiros que se uniu para orientar outros empresários sobre como proceder para diminuir os riscos de insucesso em seus empreendimentos, ofereceu almoço a um grupo seleto de convidados.

Manoel Suhet, CEO do GBI, explicou os propósitos do instituto e falou sobre o recente tour que alguns diretores do Global Business Institute fizeram por algumas capitais brasileiras. Na ocasião, eles enfatizaram a necessidade de os empresários se planejar. “O conselho vale para quem quiser vir para cá como imigrante, para quem quiser exportar para cá ou para aqueles que desejam unir as duas coisas”, ratificou Suhet – ele próprio um empreendedor, após ter sido executivo bem sucedido em companhias multinacionais.

Além dele, estiveram presentes pelo GBI Fernando Mello, chefe de Operações e PMO; Zeno Silva, chefe de Logística, e Antonio Miranda, chefe de Marketing e Vendas. Miranda também destacou que a união de empresários brasileiros dentro do conceito de ética, planejamento e humildade para reconhecer o pouco conhecimento de um novo mercado é importante para que todos consigam alcançar seus objetivos: “Muitos empresários perderam milhões de dólares e voltaram ao Brasil com enorme prejuízo quando deveriam estar aqui conosco, simplesmente porque agiram de maneira açodada e sem o assessoramento adequado”.

Para viabilizar essa reunião, o GBI contou com parceiros importantes: Banco do Brasil Americas, Castro Legal Group, RVG & Company e Atlantic American Partners. Aguinaldo Barbieri, presidente do BB Americas mostrou um vídeo no qual se confirma o forte crescimento da instituição financeira nestes sete anos de existência. Além de elogiar Antonio Cassio Segura, presidente da BACCF (Brazilian American Chamber of Commerce of Florida) e antecessor dele à frente deste banco de varejo americano, Barbieri destacou que hoje o BB Americas está inserido no mercado e tem ajudado a financiar projetos de hotelaria na Flórida, além de se notabilizar por possuir produtos atraentes para disputar o mercado bancário com os fortes concorrentes deste setor.

Renata Castro Alves, advogada de imigração bem conhecida da comunidade brasileira, também sublinhou a importância do profissionalismo. Na área dela, por sinal, isto é vital, porque muitos aventureiros, sobretudo notários, se passam como advogados e colocam os incautos em situações constrangedoras e, muitas vezes, clientes em risco de ser deportados por falta de conhecimento técnico. João Gomes, um dos sócios da RVG & Company, seguiu nesta linha, ao informar que geralmente muitos empresários abrem empresas sem sequer terem ideia de como funciona o sistema contábil e tributário dos Estados Unidos.

Presidente da Embratur prestigiou o almoço do GBI

Rosie Roden, diretora global de Desenvolvimento de Negócios da Atlantic American Partners, explicou que sua empresa é especialista na aprovação de candidatos ao visto EB-5 – visto obtido por investimentos feitos nos EUA. A empresa desenvolveu um modelo único de fundo diversificado para obtenção do EB-5, ou seja, o solicitante do visto não investe apenas em determinados projetos, mas, sim, em vários projetos. Logicamente, isto diminui os riscos de o visto ser negado, além de reduzir as probabilidades de perda do capital investido.

O projeto desenvolvido pela Atlantic American Partners, sobretudo no que se refere à hotelaria, despertou a atenção do Gilson Machado Neto, presidente da Embratur, que esteve na Flórida para vender o destino Brasil aos americanos. “Quero participar deste projeto. Aqui na Flórida é muito caro. Se levarmos este projeto para o Nordeste brasileiro, vai dar certo. Muita gente iria emigrar para lá, sobretudo os latinos”, revelou Machado. Os dois ficaram de conversar futuramente para desenvolver um projeto em conjunto no Brasil, para americanos que quiserem morar no Brasil através deste programa.

Machado garante que isto se tornará mais fácil após a viabilização da segurança jurídica na qual o governo está trabalhando. Rosie afirmou já ter feito algo similar para a República Dominicana através de Harvard onde ela estudou e, com certeza, teria interesse em participar deste tipo de projeto no Brasil.

“Estamos aqui para mostrar o que nunca foi mostrado sobre o Brasil. Antes, mostravam caipirinha, tanga e favela. Isto não deu certo. Estamos estagnados em terceiro lugar em turismo na América do Sul. Agora, vamos mostrar o que o Brasil tem de melhor: recursos e belezas naturais, nossos seis biomas, nossa Amazônia, nossa gastronomia, nossos vinhedos, tudo que o Brasil tem de melhor”, afirmou Machado.

Segundo ele, o trabalho de aumento e melhoria de infraestrutura está em andamento e garante que a infraestrutura hoteleira está subaproveitadada, apenas com 45% de lotação, com alguns hotéis fechando por falta de turistas para usar as instalações.

“A isenção de vistos para turistas americanos, canadenses, japoneses e australianos resultou em aumento de 230% em comparação com ano passado. Estamos fazendo a lição de casa em relação à segurança pública. Os pontos turísticos do Brasil se comparam aos pontos turísticos dos outros países, Porto de Galinhas, Pantanal, Foz de Iguaçu, Maceió, em áreas turísticas não há muitos riscos, porque o policiamente é reforçado”, garantiu o presidente da Embratur, assim como ocorre nos outros países que faturam bastante com turismo.

A Brazil Expo Florida se encerrou às 7 horas da noite com a cantora Marina Elali cantando os hinos de Brasil e Estados Unidos.

A representante de marketing do AcheiUSA e da BizBrazil Magazine, Fernanda Maiolini, no stand do grupo na exposição