Canadense que avançou com van sobre pedestres em Toronto teria problemas mentais

Dez pessoas morreram e outras 15 ficaram feridas; polícia afirma que acusado não tem ligação com grupos terroristas

0
1697
Alek-Minassian. frequentou escola para portadores de necessidades especiais
Alek-Minassian. frequentou escola para portadores de necessidades especiais

A polícia de Toronto está buscando os motivos que levaram Alek Minassian, de 25 anos, a atropelar com uma van branca alugada diversos pedestres na segunda-feira (23), em um ataque que deixou 10 mortos e pelo menos 15 feridos. O motorista, preso 26 minutos depois de atingir a multidão, não era considerado violento por ex-colegas de turma de escola voltada para alunos com necessidades especiais. De acordo com a CNN, Minassian postou no Facebook elogios a Elliot Roger, homem que matou sete pessoas e deixou outras 13 feridas na Universidade de Santa Barbara, Califórnia, em 2014.

O incidente aconteceu às 1h30pm, hora local, quando as ruas estavam cheias de pessoas que haviam saído dos escritórios para o almoço. Uma testemunha do atropelamento, identificada como Ali, disse à rede de TV CNN que o motorista parecia agira propositalmente. “Ele estava matando todo mundo. Ia avançando cada vez mais, atingindo as pessoas uma após a outra”, disse. Ele contou que algumas das vítimas eram idosos e que viu um carrinho de bebê ser lançado pelo ar.

Um vídeo do incidente, exibido pela emissora “CBC”, mostra um homem repetidamente apontando um objeto, aparentemente uma arma de fogo, para um policial, enquanto pede aos gritos que o mate.

Segundo o canadense Shereen Chami, que estudou com Minassian, ele fazia parte de um programa na Thornlea Secondary School, nos subúrbios do Norte de Toronto, para estudantes do ensino médio com necessidades especiais, um termo geral usado no sistema de educação canadense que abrange dificuldades de aprendizado e de comportamento, bem como deficiências físicas. Dessa forma, Minassian frequentou uma mistura de aulas tradicionais e específicas.

“Ele não era uma pessoa social, mas pelo que me lembro, era absolutamente inofensivo” disse Chami.

De acordo com outros ex-colegas de turma, o suspeito costumava andar pelos corredores com a cabeça baixa e as mãos juntas. Ari Bluff afirmou à “CBC News” que Minassian não era muito social na época da escola.

“Eu não tenho certeza se ele teve amigos muito próximos, pelo menos em público. Eu nunca o vi com um grupo de amigos, em geral. Mas sempre que o encontrávamos nos corredores, nós falávamos com ele, dizendo um ‘oi’ ou algo assim”, contou o ex-colega da turma de informática, no 10º ano da Thornlea Secondary School.

Minassian não era conhecido da polícia, que dá andamento à investigação sobre seus motivos para ter atropelado a multidão nesta segunda-feira. O chefe da polícia de Toronto, Mark Saunders, disse que as ações do motorista “definitivamente pareciam deliberadas”.