Cerca de 40 mil brasileiros ficaram além do tempo permitido nos EUA em 2016

País ocupa a terceira posição em lista divulgada pelo Departamento de Homeland Security (DHS), atrás do México e Canadá

0
9692
Quarenta mil brasileiros ficaram além do tempo permitido nos EUA
Quarenta mil brasileiros ficaram além do tempo permitido nos EUA

Relatório divulgado pelo Departamento de Homeland Security (DHS) no mês de maio mostra que os brasileiros ocupam o terceiro lugar na lista de estrangeiros que ficam nos EUA além do tempo permitido por lei. Brasileiros têm no máximo seis meses para ficaram no País com o visto B1/B2, de turismo e negócios.

Dos dois milhões de brasileiros que deveriam ter embarcado de volta para casa em 2016, 39,5 mil (1,9%) permaneceram no país ilegalmente. Os números se referem a visitantes de turismo e negócios que deveriam ter deixado os Estados Unidos entre 1º de outubro de 2015 e 30 de setembro de 2016. Se somados os vistos concedidos a estudantes e outros tipos de autorização, 43 mil (2%) brasileiros descumpriram o tempo máximo de permanência nesse período.

Surpreendentemente, os canadenses lideram a lista de estrangeiros que ficam ilegalmente nos EUA depois que de vencido o prazo. Eles não precisam de visto para entrar nos Estados Unidos e podem ficar até três meses no país apenas com o passaporte válido. Na América Latina, apenas o Chile tem o mesmo benefício.

Dos 8,6 milhões de canadenses que deveriam ter deixado os Estados Unidos, 124 mil (1,4%) permaneceram no país ilegalmente. Os mexicanos estão em segundo lugar na lista. Dos 2,9 milhões com partida esperada, 47 mil (1,7%) continuaram no país.

Os dados são usados pelo DHS para identificar, localizar e agir contra os atrasos de saída daqueles que apresentem ameaças ao país.

Após os ataques de 11 de setembro de 2001, autoridades americanas revelaram que dois responsáveis pelos atentados – Satam al Suqami e Nawaq Alhazmi – tinham seu visto expirado, segundo o New York Times.

Números relativos

Já países asiáticos e africanos têm as maiores taxas de estrangeiros que ignoram a data limite. A proporção é superior a 20% entre os indivíduos que visitam os Estados Unidos para turismo ou negócios vindos de países como Djibuti, Burkina Faso, Micronésia, Eritreia e Butão.

Cidadãos desses países, contudo, não somam nem 10 mil estrangeiros em números absolutos. Por outro lado, entre as nações isentas do requerimento de visto (excluindo o Canadá), a taxa de permanência ilegal é de apenas 0,6%. O número de canadenses de turismo e negócios que decidiu permanecer nos Estados Unidos aumentou na comparação com o ano anterior.

Em 2016, foram 25 mil visitantes a mais do que em 2015, quando 99 mil permaneceram no país. No caso do México, foram em torno de 2 mil a mais. E do Brasil, quase 6 mil. Foram divulgados dados apenas desses dois anos.

Penalidades

O governo americano cancela o visto de quem ultrapassa o tempo permitido. Se o estrangeiro ficar até um ano a mais, ele estará proibido de entrar no país pelos três anos seguintes. Se passar de um ano, a proibição se estende por uma década. Os números do DHS indicam que, no ano passado, dos 50 milhões de visitantes que entraram nos Estados Unidos, 1,07% descumpriram o tempo limite.