China: acidente é ‘incomum’ e especular sobre causa pode gerar pânico, diz especialista

Piloto com especialização em segurança de voo falou sobre queda de avião que deixou 132 pessoas mortas no sul do país

0
411
Especialista em aviação qualifica acidente aéreo na China como “incomum” (Foto: Reuters)
Especialista em aviação qualifica acidente aéreo na China como “incomum” (Foto: Reuters)

Como todo acidente aéreo, as notícias e imagens de um incidente como o que ocorreu na China na segunda-feira (21) geram apreensão, versões das mais diferentes possíveis e uma pressão por respostas rápidas – o que não ajuda em nada a investigação profissional.

O site Terra conversou com Caio Cintra, piloto comercial de aeronaves, especializado em segurança de voo, e coordenador do curso de ciências aeronáuticas da Universidade Guarulhos (UNG) para repercutir o acidente com um Boeing 737-800 da China Eastern Airlines, que deixou 132 pessoas mortas.

Com base nas imagens impressionantes do ocorrido, em que o avião aparece despencando de bico em uma região de mata, o especialista ressalta que, mesmo com um registro em vídeo da queda, não dá para firmar hipóteses sobre a causa.

“Ainda é muito cedo, não temos informações suficientes. O que temos são as imagens da aeronave caindo, o que dá para concluir que ela desceu em um ângulo muito íngreme, mas, além disso, não temos informações para cogitar nada”.

Cintra reforça que todo acidente aéreo envolve muita complexidade, porque não é uma única falha que derruba uma aeronave. “O nível de proteção, principalmente em linhas aéreas, é muito elevado com relação a redundâncias e pessoas certificando que tudo está acontecendo da maneira correta. Só um erro não causa um acidente. São diversas falhas e várias infelizes coincidências que causam um acidente”.

O especialista resumiu a circunstância envolvendo o incidente como “incomum”. Cintra explica que é muito raro acontecer problemas na fase em que o voo da China Eastern Airlines estava quando começou a despencar.