Cidade de NY deve aprovar medida que garante direito de voto a portadores de green card

Vereador democrata Ydanis Rodríguez, autor do projeto, garantiu que possui votos necessários para aprovar a medida na Câmara municipal; cerca de 800 mil imigrantes seriam impactados

0
657
Indivíduos que moram legalmente em NYC por pelo menos 30 dias seriam beneficiados (foto: Flickr)

A Câmara de Vereadores de New York se reúne nesta quinta-feira (9) para votar o projeto de lei que autoriza residentes permanentes votarem nas eleições municipais. Se aprovada, a proposta de autoria do vereador Ydanis Rodríguez, do Partido Democrata, beneficiará portadores de green card, indivíduos com permissão de trabalho e titulares do DACA. Rodriguez,  que é um imigrante da República Dominicana, disse à CNN que “se essas pessoas pagam seus impostos, devem poder eleger seus líderes”. “Nenhuma tributação sem representação”, falou.

O texto do projeto exige um prazo de pelo menos 30 dias de residência legal na cidade. Entre as autoridades públicas que os não-cidadãos poderiam eleger estão: prefeito, defensor público, presidentes de distritos escolares, conselheiros municipais, entre outros. Cerca de 800 mil pessoas seriam incluídas, conforme divulgou o gabinete de Rodriguez.

O projeto precisa ser aprovado pela maioria absoluta dos legisladores antes de seguir para sanção do prefeito Bill de Blasio. O vereador democrata afirmou que já possui os votos necessários. Mas o bloco republicano da Câmara de NY prometeu resistência. Durante uma coletiva de imprensa concedida semana passada, o líder da minoria Joseph Charles Borelli, declarou que vai recorrer a “todas as ações legais disponíveis para evitar que o proposta se torne lei”,

“Se querem votar aqui, devem passar pelo processo de se tornar cidadãos, porque é assim que você demonstra um verdadeiro compromisso em fazer parte desta cidade e deste país”, disse Borelli.

No início deste ano, duas cidades em Vermont – Montpelier e Winooski – estenderam o direito aos não-cidadãos de votar nas eleições locais. A proposta também têm sido discutido em Massachusetts, Illinois e District of Columbia.