Cigarro eletrônico mata homem no Texas

Uma das peças cortou o lábio superior de Brown e se alojou em sua garganta. Ele foi levado ao hospital de ambulância, mas faleceu dois dias depois

0
1759
William Eric Brown usava o dispositivo dentro de seu carro, parado em um estacionamento na cidade de Fort Worth
William Eric Brown usava o dispositivo dentro de seu carro, parado em um estacionamento na cidade de Fort Worth

Um homem de 24 anos morreu no Texas depois que um cigarro eletrônico explodiu em seu rosto. O acidente ocorreu em 27 de janeiro quando William Eric Brown usava o dispositivo dentro de seu carro, parado em um estacionamento na cidade de Fort Worth, de acordo com informações da CNN.

Uma das peças cortou o lábio superior de Brown e se alojou em sua garganta. Ele foi levado ao hospital de ambulância, mas faleceu dois dias depois. Segundo o boletim médico do Departamento de Medicina Legal do Condado de Tarrant, a peça causou um derrame ao danificar a artéria carótida da vítima, que fica no pescoço e fornece sangue para o cérebro, pescoço e rosto.

Ao perceber o acidente, funcionários de uma loja próxima ao estacionamento chamaram a ambulância. Segundo relatou a avó da vítima, Alice Brown, em entrevista ao jornal local Star-Telegram, o jovem havia acabado de comprar o cigarro em uma loja ao lado do estacionamento, mas a loja em questão negou que tenha vendido o dispositivo.

Em maio de 2018 um homem na Flórida também morreu depois de um acidente com cigarro eletrônico. Segundo informações da Reuters, Tallmadge D’Elia, de 38 anos, teve mais de 80% do corpo queimado depois que peças do cigarro que utilizava perfuraram seu lábio e atravessaram parte de seu crânio. A explosão causou um incêndio no quarto da vítima, onde seu corpo foi descoberto pelas autoridades.

Acidentes como esse são raros, segundo a FDA, agência regulatória do governo americano. As causas das explosões ainda não foram determinadas pela agência, mas há indícios de que tenham relação com problemas na bateria dos dispositivos.