Cinco mil cobras pítons são capturadas no Parque Everglades

A superpopulação das cobras gigantes píton-burmesa se tornou um problema para o ecossistema do parque nacional Everglades. Estima-se que entre 100 e 300 mil desses répteis habitam o estado da Flórida.

0
1401
Píton-burmesa adulta (foto: flickr)
Píton-burmesa adulta (foto: flickr)

Desde que os administradores do Everglades contrataram caçadores profissionais de cobras para removerem as píton-burmesas do parque em 2017, mais de cinco mil répteis foram capturados.

“Outra vitória para o Everglades”, disse “Alligator Ron” Bergeron, um dos mais experientes caçadores contratados. “Cada píton eliminado representa centenas de animais selvagens nativos da Flórida salvos”, comemorou.

As cobras gigantes são encontradas em toda a parte no sul da Flórida e são vistas como um problema devido ao seu apetite voraz por mamíferos o que, segundo especialistas, interrompe o equilíbrio natural da cadeia alimentar.

Há anos as autoridades da Flórida tentam diminuir a população desta serpente oriunda do sudeste asiático e que pode alcançar vários metros de comprimento e pesar quase 200 kg.

Acredita-se que os animais tenham chegado ao Everglades no início dos anos 80, e encontraram condições perfeitas: água em abundância para acasalar e muitas presas. Além disso não têm predadores e as fêmeas podem botar até 100 ovos por ano.

O estado paga aos caçadores um salário mensal simbólico, e um bônus para cada píton capturada . Quando a captura é de um  fêmea aninhada, o valor recebido é maior.

Os cientistas não sabem exatamente quantas cobras estão por aí. As estimativas variam entre  100 mil a 300 mil.