Com gols de Neymar e Firmino, Brasil vence o México e avança

Próximo jogo será com o vencedor da partida entre Japão e Bélgica na sexta-feira (6)

0
1254
FOTO Dylan Martinez - Reuters
FOTO Dylan Martinez - Reuters

O Brasil mandou para casa a seleção do México em jogo sofrido nesta segunda-feira (2). O time de Tite começou jogando mal, mas acordou ainda no meio do primeiro tempo, voltando melhor no segundo tempo. Neymar foi o autor do primeiro gol e foi o camisa 10 quem deu o passe para Roberto Firmino marcar o segundo.

Neymar se isolou como artilheiro da era Tite, com 11 gols marcados. Ainda nesta segunda, o Brasil conhecerá seu próximo adversário para as quartas de final na sexta-feira (7). Sem Casemiro, suspenso, vai até Kazan para enfrentar o vencedor do duelo entre Bélgica e Japão.

No primeiro tempo, o México rondou mais a área brasileira, mas, chance por chance, as do Brasil foram até melhores. A equipe de Tite (leia-se Paulinho) não foi bem na transição ofensiva, furando a marcação com menos dificuldade em contra-ataques pelo lado esquerdo, de Coutinho e Neymar. Já o time de Osorio, apesar da escalação de Rafa Marquéz (como volante à frente da defesa e não numa linha de cinco), deu bastante trabalho a Fagner e Filipe Luís com Vela e “Chucky” Lozano, respectivamente.

No intervalo, o México mexeu: Rafa Marquéz foi substituído por Layún, que passou à lateral direita para o pendurado Edson Álvarez (que recebeu cartão após entrada dura em Neymar no primeiro tempo) não ter mais de marcar o camisa 10. Mas ninguém conseguiu parar o craque brasileiro aos cinco minutos, quando atraiu toda a marcação, ajeitou de calcanhar para Willian e recebeu de volta para abrir o placar. Os mexicanos ainda o caçaram com mais faltas e, além de pararem na seleção menos vazada do torneio levaram mais um gol no final, de Firmino.

Como nos outros quatro encontros de Copa do Mundo (1950, 1954, 1962 e 2014), todos por fase de grupo, o México não conseguiu vazar o Brasil. Agora, são ao todo quatro vitórias brasileiras e um empate. (Com informações do G1).