Como será a reabertura das escolas em Nova York

0
1236
Fachada de uma middle school em Queens, NY (Foto: Sandra Colicino)
Fachada de uma middle school em Queens, NY (Foto: Sandra Colicino)

Em 7 de agosto, o governador de Nova York anunciou em sua coletiva de imprensa que as escolas estariam livres para reabrir no outono de 2020. Cada localidade deverá apresentar um plano de reabertura que deve ser aprovado pelo pelo respectivo departamento de educação. Na cidade de New York, o prefeito de Bill De Blasio anunciou seu plano, que inclui medidas de limpeza e ventilação avançados, mas que fui criticado por professores do sistema de educação da cidade.

Durante sua coletiva de imprensa do dia 17 de agosto, o prefeito de Blasio mostrou um video explicando as medidas de higiene e ventilação a fim de iniciar o ano letivo no outono. O video demonstra que serão distribuídos suprimentos de limpeza e EPI (Equipamentos de Proteção Individual), ou seja, desinfetantes, álcool em gel e máscaras para a equipe de limpeza das escolas. Também haverá sprays de desinfetantes electrostáticos, espirrados frequentemente durante o período em que escolas estiverem abertas. Por último, o video explica que o sistema de ventilação também será renovado a fim de garantir a segurança de alunos, professores e funcionários contra o Corona virus. As salas onde esse requerimento não puder ser cumprido permanecerão fechadas.

O plano introduzido pela administração De Blasio consiste em aprendizado híbrido, em que os pais de alunos optam por parte presencial e parte remoto, ou totalmente remoto. Até agora, somente 30% dos estudantes optaram por ensino remoto.

Porém, o líder do sindicato dos professores da cidade de Nova York (UFT–United Federation of Teachers), Michael Mulgrew, detalhou em um op-ed para o Daily New do dia 26 de junho, antes do anúncio de Cuomo, as condições necessárias para a reabertura das escolas em setembro.

“Se necessáro, o ensino remoto continuará em setembro–Sem medidas de segurança necessárias–e caras–a reabertura dos prédios escolares apresentará riscos inaceitáveis para nossos estudantes, funcionários e familiares. Qual você escolherá”?–Mulgrew escreve no op-ed.

Enquanto Mulgrew acredita que fundos provenientes do governo federal, através do HEROES act, que já foi aprovado pela Casa dos Representantes, mas ainda necessita aprovação do Senado e do presidente, sejam suficientes para a reabertura das escolas, outro sindicato importante em Nova York, o MORE (Movement of Rank and File Educators), acredita que a cidade deve ir além da UFT. Este exige pelo menos 14 dias sem infecções na região, além de mais resgate financeiro para as escolas a fim de preparar os prédios para uma reabertura segura e resgate econômico para membros da comunidade escolar, inclusive indocumentados, para que as escolas possam reabrir.

Durante o mês de agosto, haverá mais discussões a fim de estabelecer um plano mais definitivo para o início do ano escolar em Nova York. 

Mais notícias da reabertura em Nova York

Para os fãs de boliche em Nova York, boas notícias: a partir de 17 de agosto, já foi liberada a abertura de salões de boliche. A partir de 24 de agosto, atividades culturais de baixo risco, tais como museus e aquários, também estarão liberadas para reabertura. E, finalmente, na coletiva de imprensa também do dia 24 de agosto, o governador Andrew Cuomo anunciou que as academias poderiam reabrir no estado com um terço de capacidade. Este marco só pode ser atingido devido à baixa taxa de transmissão do vírus no estado de Nova York.

Já estão abertos os salões de boliche em Nova York. As condições para isso são freqüente higienização da superfícies e uso alternado das pistas de boliche, incluindo proteção de plástico entre as pistas.

Outras atividades tão antecipadas para reabertura são as culturais. Museus e aquários estarão finalmente liberados para a reabertura a partir de segunda, 24 de agosto, com 25% de capacidade, seguindo os protocolos de segurança do CDC. Porém, alguns museus já haviam divulgado datas de reabertura antes do anúncio. O Metropolitan Museum of Art anunciou sua reabertura oficial em seu website em 29 de agosto. O Museu de História Natural (American Museum of Natural History) reabrirá para o público em 2 de setembro e o Whitney Museum estará disponível para visitas no dia 3 de setembro. Já o MOMA (Museu de Arte Moderna), reabrirá no dia 27 de agosto. Os ingressos serão marcados a partir do dia 21 de agosto, com entrada gratuita até 27 de setembro, em parceria com a marca Uniqlo. O Aquário de Nova York (New York Aquarium) já está em espírito de contagem regressiva com reabertura para o dia 27 de agosto.

MOMA, Museu de Arte Moderna, em uma foto de outubro de 2019, logo depois de sua reforma (Foto: Sandra Colicino)
MOMA, Museu de Arte Moderna, em uma foto de outubro de 2019, logo depois de sua reforma (Foto: Sandra Colicino)

O mais recente anúncio diz respeito às academias. O governo do estado liberou a reabertura para o dia 24 de agosto, mediante obediência de medidas de segurança, tais como um terço de capacidade e uso obrigatório de máscaras. O estado já estava sob pressão dos donos de academia para a reabertura, visto que os níveis de transmissão no estado permanecem baixos desde junho. Ainda não há uma data definida para a reabertura de academias na cidade de Nova York.