Conselho de Medicina de MA pune médico que fez cirurgia de brasileira morta em 2011

Adriana Paula da Silva Toledo morreu em 2011 depois de passar por cirurgia plástica nos seios

0
2018
Adriana Paula da Silva Toledo faleceu em 2011, deixou 3 filhas e foi sepultada em Framingham (MA)
Adriana Paula da Silva Toledo faleceu em 2011, deixou 3 filhas e foi sepultada em Framingham (MA)

O Board of Registration in Medicine de Massachusetts (BORIM) emitiu uma ação disciplinar contra o médico Sanjeev Sharma, da clínica Destination Beauty MedSpa, em Framingham (MA), devido à morte de Adriana Paula da Silva Toledo, de 39 anos em 2011. A brasileira faleceu após ser submetida a um implante de próteses de silicone nos seios. O caso ainda se arrasta na Justiça. As informações são do jornal Brazilian Times.

Adriana passou pela cirurgia em um dia, no outro passou mal, caiu no banheiro, foi levada para o hospital e morreu.

Na quarta-feira (12), o Conselho emitiu um relatório destacando vários aspectos da cirurgia que resultou na morte de Silva. Entre eles está a quantidade exagerada de remédios dados a paciente. Conforme especialistas, o excesso de medicamentos pode ter sido o responsável pela queda dela, causando embolia pulmonar, problemas cardíacos e ferimentos no crânio.

O relatório também ressalta que, devido à complexidade da cirurgia, ela deveria ter sido feita em um hospital e acompanhada por um anestesista. Além disso, a brasileira não foi perguntada se fazia uso de anticoncepcionais, o que colocou em risco a vida da paciente. Ela tinha o histórico de um cisto no peito, Sanjeev sabia disso, mas a operou assim mesmo e não monitorou o coração dela, o que poderia ter evitado a embolia pulmonar. No total, o Conselho responsabilizou o médico por 40 tipos de complicações.

Adriana era filha do Pastor Aparecido Alfredo da Silva e Maria das Graças, residentes em Framingham (MA). Ela nasceu em São Paulo, mas cresceu em Ipatinga (MG), e deixou três filhas.

Apesar da punição, Sanjeev conseguiu fazer um acordo e não perdeu a licença para exercer a profissão. Atualmente, ele pode trabalhar, mas corre o risco de perder a licença a qualquer momento, caso ocorra outro caso de negligência.

A família de Adriana acionou judicialmente Sanjeev Sharma e o caso ainda tramita no tribunal em Massachusetts.