Pandemia gera acúmulo de mais de 1,2 milhão de processos em cortes de imigração

Segundo um levantamento feito pela Syracuse University, a espera por audiências pode chegar a quase 4 anos

0
1575
Histórico criminal do condenado inclui várias acusações de roubo e fraude, revelaram os promotores (foto : Wikimedia)
Histórico criminal do condenado inclui várias acusações de roubo e fraude, revelaram os promotores (foto : Wikimedia)

Por causa da pandemia de Covid-19, milhares de audiências foram canceladas nos tribunais de imigração em todo o país. O resultado é um acúmulo de mais de 1,2 milhão de processos, segundo um relatório divulgado pelo Centro de Acesso e Informações de Registros Transacionais (TRAC) da Syracuse University, em Nova York.

O estudo revela que o fechamento parcial das cortes imigratórias nos meses de abril a junho impactou centenas de milhares de imigrantes que aguardam uma audiência nos tribunais. Agora, a espera pode levar anos.

O estudo aponta que, apenas no Escritório de Revisão de Casos de Imigração (EOIR, Tribunal de Imigração) todos os casos individuais foram suspensos, como medida preventiva para conter a propagação do vírus.

O TRAC indica, ainda, que, ao final do terceiro trimestre do ano fiscal de 2020 no final de setembro, o acúmulo de processos no Tribunal de Imigração será 1.233.307.

“Se você dividir o número de casos acumulados pelos 480 juízes que o EOIR possui, e depois pela cota anual de 700 processos exigidos pelo Departamento de Justiça, em média cada caso levará, aproximadamente, 3,9 anos” disse Alex Gálvez, advogado de imigração que atua em Los Angeles, Califórnia, em entrevista à Univision.

Em março, antes da pandemia, o Tribunal de Imigração processou uma média de 40 mil casos, de acordo com o relatório. No período de abril a julho, esse número caiu para cerca de 6 mil.

“O problema não foi resolvido”, diz Gálvez. “A pandemia continua, não parou. O Tribunal de Imigração está sobrecarregado ”.

“Quando tudo estiver finalmente normalizado, veremos um tribunal de imigração estagnado com centenas de milhares de casos, milhões de arquivos esperando. Por enquanto são quase quatro anos de espera em média, mas como o problema não pára, os atrasos num futuro próximo serão de cinco ou seis anos”, diz Alexandre.