Covid: Governadora do Novo México vai para as salas de aula suprir falta de professores

Estado é um dos mais afetados pelo aumento de casos decorrentes da variante ômicron nos EUA

0
462
Primeiro dia de Michelle Grisham em uma sala de aula foi nesta quarta-feira, 26 (foto: Flickr)

A governadora do Novo México, Michelle Lujan Grisham, se inscreveu como professora substituta para suprir a falta de pessoal nas escolas públicas do estado. A escassez é motivada pelo alto número de trabalhadores escolares contaminados pela variante ômicron da covid-19. O primeiro dia de Grisham em uma sala de aula foi nesta quarta-feira (26). Na semana passada, ela convocou funcionários do governo e da National Guard Troops para atuarem como professores temporários, cozinheiros e cuidadores de crianças. O objetivo, de acordo com o gabinete da governadora, é impedir que creches e instituições de ensino fechem as portas em meio a um novo surto de coronavírus. Desde o início de janeiro, cerca de 60 dos 146 distritos escolares do Novo México passaram a transmitir as aulas pela internet, e 75 creches fecharam parcial ou completamente. “Nossas escolas são uma fonte de estabilidade para nossos filhos”, disse Lujan Grisham em um comunicado à imprensa. “Sabemos que eles aprendem melhor na sala de aula e prosperam entre seus colegas”, avaliou.

Para se tornar um professor substituto licenciado para pré-escola até a 12ª série no Novo México, voluntários, assim  como a Grisham, precisam passar por uma análise de antecedentes criminais e fazer um curso de ensino on-line, que leva dois dias para ser concluído. A governadora do Partido Democrata disse que ai dividir o tempo entre as atividades políticas e as salas de aulas.