Crescem pedidos de refúgio de venezuelanos na União Europeia

A Venezuela vive uma grave crise política e econômica

0
989
Venezuelanos estão pedindo refúgio na União Europeia (Foto: Agência Brasil)
Venezuelanos estão pedindo refúgio na União Europeia (Foto: Agência Brasil)

DA REDAÇÃO – O número de novos requerentes de refúgio na União Europeia voltou a aumentar. Desde o início de janeiro até o final de abril, um total de 206.500 pedidos de refúgio foi registrado pela Agência Europeia de Apoio ao Asilo (Easo, na sigla em inglês). No mesmo período de 2018, eles contabilizaram cerca de 179 mil.

Segundo os registros, aumentou o número de requerentes de refúgio de países cujos cidadãos podem entrar no espaço Schengen sem necessidade de visto. Estes incluem Venezuela, Colômbia, Albânia e Geórgia.

A Venezuela, que entrou recentemente em grave crise política e econômica, está em segundo lugar, depois da Síria, entre os países de origem dos maiores grupos de solicitantes de refúgio. O Afeganistão ocupa a terceira posição.

O número de requerentes de refúgio da Venezuela aumentou em 121%, para 14.257, nos primeiros quatro meses deste ano, em relação ao mesmo período de 2017. E 8.097 pessoas chegaram vindas da Colômbia, cifra 156% maior do que no mesmo período do ano anterior.

Pediram refúgio 20.392 pessoas vindas da guerra civil na Síria. O número caiu em 8%. Do Afeganistão, 14.042 pedidos foram registrados, 36% a mais do que um ano antes.

Venezuela reabre parte da fronteira com a Colômbia

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ordenou hoje (8) a reabertura de parte da fronteira com a Colômbia. A medida envolve a passagem entre os dois países no estado de Táchira, no oeste da Venezuela, que estava fechada há quase quatro meses.

O líder chavista ordenou o fechamento total das fronteiras terrestres com o Brasil e a Colômbia em 22 de fevereiro. A intenção foi frustrar uma tentativa de envio de ajuda humanitária à Venezuela por terra a partir dos dois países vizinhos, programada para o dia seguinte.