Criança de 11 anos recebe carta de deportação no Texas

Laura Maradiaga vive em Houston com a família e pode ser deportada sozinha para El Salvador

0
3334
Laura Maradiaga, à direita, fazendo compras com a família em Houston Cortesia FIEL Cesar Espinosa
Laura Maradiaga, à direita, fazendo compras com a família em Houston Cortesia FIEL Cesar Espinosa

Laura Maradiaga Alvarado, de 11 anos, recebeu uma carta de deportação e pode ter que deixar o País sozinha e voltar para o seu país de origem, El Salvador. Ela vive com a família em Houston (TX).

Na quinta-feira (11), a família de Laura e ativistas da causa imigratória falaram com a imprensa sobre a situação da menina. As informações são da ABC.

“Descobrimos que uma criança de 11 anos pode ser deportada sozinha para El Salvador, o que nós acreditamos se tratar de um grande erro criado pelo sistema da imigração”, disse Cesar Espinoza, diretor da entidade FIEL.

Espinoza disse que família Alvarado tem feito check-ins periodicamente em tribunais imigratórios, mas com a paralisação do governo ocorrida em janeiro, uma das audiências foi cancelada. Essa confusão e a barreira do idioma, segundo o ativista, resultaram em uma confusão no processo de solicitação de asilo da família. Laura recebeu a carta de deportação na quarta-feira (10).

A entidade encontrou um advogado para Laura e ele espera reverter a decisão.

“Este erro cometido pela Imigração está colocando em jogo o futuro dessa criança e eles serão separados se isso não for revertido”, comentou a advogada Sylvia Mintz, que vai apelar da decisão.

História da família

A mãe de Laura, Dora Alvarado, disse que a menina e sua irmã de 15 anos corriam risco em El Salvador. Segundo a mãe, membros de gangues estavam perseguindo a família, depois que um deles testemunhou no tribunal contra um assassinato cometido pelo grupo. “Foi aí que minha mãe disse que precisávamos ir para os Estados Unidos”, disse Laura.

Dora e suas filhas foram presas na fronteira dos EUA com o México no dia 5 de outubro de 2018 e liberadas. Elas entraram com processo para pedir asilo e tinham que comparecer ao Immigration and Customs Enforcement a cada duas semanas desde novembro.

Na última visita à imigração, Laura recebeu a ordem de deportação, somente a menina.