Cuba e EUA assinam acordo que restabelece voos diretos entre os dois países

0
1277

Voos regulares entre os dois países voltam a operar após 50 anos; rotas começarão a funcionar a partir do último trimestre deste ano

Aeronaves no Aeroporto Internacional Jose Marti, em Havana
Aeronaves no Aeroporto Internacional Jose Marti, em Havana

Da Redação com G1 – Os governos de Cuba e Estados Unidos assinaram nesta terça-feira (16) em Havana um memorando de entendimento sobre aviação civil que inclui rotas regulares diretas pela primeira vez em mais de 50 anos, que estarão operativas a partir do último trimestre deste ano.

“Hoje é um dia histórico na relação entre Cuba e Estados Unidos. Estamos assinando este memorando de entendimento para que, pela primeira vez em mais de cinco décadas, EUA e Cuba tenham um serviço de transporte aéreo regular”, afirmou na capital cubana o secretário de Transporte americano, Anthony R. Foxx, segundo a EFE.

Pelo acordo, as empresas aéreas poderão operar diariamente 110 voos de ida e volta entre EUA e Cuba: até 20 deles com destino a Havana e até 10 para cada um dos outros nove aeroportos internacionais cubanos. Segundo a Associated Press, o número é cinco vezes maior do que os voos que atualmente circulam entre os dois países — todos fretados.

Além de Foxx, assinaram este acordo o ministro de Transporte de Cuba, Adel Yzquierdo, o secretário adjunto para Assuntos Econômicos e Negócios do Departamento de Estado dos EUA, Charles H. Rivkin; e o presidente do Instituto de Aeronáutica Civil da ilha, Alfredo Cordero.

Com a assinatura do acordo, terá início o processo de licitação para que as companhias aéreas americanas apresentem suas solicitações ao Departamento de Transporte para as rotas que gostariam de operar.

Segundo a EFE, esse processo de licitação exclui a estatal Cubana de Aviación devido a litígios nos EUA que poderiam fazer com que seus bens fossem embargados se entrarem em território americano.

Além disso, em Washington, o Departamento de Segurança Nacional dos EUA anunciou também nesta terça-feira que eliminará as barreiras legais que pesam sobre os voos com Cuba, que antes só podiam partir ou chegar de 22 aeroportos, mas que agora estarão sujeitos às mesmas regras que qualquer outro voo internacional.

Retomada de laços diplomáticos
Os Estados Unidos e Cuba anunciaram que tinham chegado a um acordo para restaurar o serviço regular de linhas aéreas comerciais entre os dois países em dezembro de 2015.

O anúncio foi feito no dia em que se comemora o aniversário de um ano da decisão dos dois países para restaurar os laços diplomáticos depois de mais de 50 anos de inimizade da Guerra Fria.

Embora o embargo comercial ao país caribenho tenha permanecido, quando as relações diplomáticas foram retomadas, os Estados Unidos anunciaram o desejo de facilitar viagens de americanos a Cuba. A embaixada dos Estados Unidos em Havana foi reaberta em agosto após em 54 anos.