Dez brasileiros são presos acusados de roubo de identidades para fraudar aplicativos

Prisões aconteceram em Massachusetts, Flórida e Califórnia. Outros nove brasileiros estão sendo procurados, segundo informaram as autoridade federais. Se condenados, eles podem pegar até 20 anos de detenção

0
17638
Grupo está sendo acusado de executar um golpe em todo o país (foto: Wikimedia)
Grupo está sendo acusado de executar um golpe em todo o país (foto: Wikimedia)

Um grupo de 19 brasileiros está sendo sendo acusado pelo Federal Bureau of Investigation (FBI) e pelo Procurador Federal Interino de Massachusetts, Nathaniel R. Mendell, por suposto roubo de documentos de americanos para criação de contas fraudulentas em aplicativos de transporte. 

Dez foram presos: Oito em MA, um na Flórida e um na Califórnia. O restante está sendo procurado, segundo informou o U.S. Justice Department nesta sexta-feira (7).

“Esses indivíduos são acusados ​​de executar um golpe em todo o país no qual arrastaram milhares de pessoas inocentes, roubando suas identidades”, disse Joseph R. Bonavolonta, agente especial do FBI em Boston.

Segundo Bonavolonta, o esquema funciona da seguinte forma: Os números de Social Security (SSN) e carteiras de motoristas de cidadão americanos são furtados e usados para abrir contas em aplicativos como Uber, Instacart, Doordash, Lyft, entre outros. Em seguida, essas contas são alugadas ou vendidas para imigrantes indocumentados que não possuem autorização para dirigir.

“Eles pensaram que seria uma maneira fácil de gerar algum dinheiro rápido, mas, ao fazer isso, comprometeram a segurança pública ao colocar pessoas ao volante que não poderiam conseguir empregos nessas empresas por conta própria ”, completou o agente do FBI.

As autoridades federais também informaram que a fraude envolve, ainda, o uso de robôs para ‘hackear’ os programas de bônus das empresas e aumentar as receitas obtidas com as contas falsas. O valor arrecadado pelos golpistas não foi divulgado.

O esquema começou a ser investigado em 2019, quando as vítimas denunciaram formulários de impostos de renda gerados pelo Internal Revenue Service (IRS) em seus nomes, sobre o montante que os golpistas ganharam com os apps. Estima-se que pelo menos duas mil pessoas foram lesadas.

Se condenados, os brasileiros podem pegar até 20 anos de prisão por conspirar contra o sistema financeiro dos EUA, além de crime de fraude eletrônica, uso de identidade falsa, entre outras acusações. Eles também podem ser multados em até $250 mil ou duas vezes o ganho obtido com a infração, o que for maior. 

Os dez brasileiros detidos são:

  •              Wemerson Dutra Aguiar, 25, que já morou em Lynn e Woburn, MA
  •              Priscila Barbosa, 35, de Saugus, MA
  •              Edvaldo Rocha Cabral, 41, de Lowell, MA
  •              Clovis Kardekis Placido, 37, de Citrus Heights, CA
  •              Guilherme Da Silveira, 28, de Revere, MA
  •              Flavio Candido Da Silva, 35, de Revere, MA
  •              Altacyr Dias Guimaraes Neto, 34, de Kissimmee, FL
  •              Bruno Proencio Abreu, 28, de Saugus, MA
  •              Jordano Augusto Lima Guimaraes, 34, de Salem, MA
  •              Alessandro Felix Da Fonseca, 25, de Revere, MA

Se você é uma vítima deste tipo de crime, denuncie às autoridades federais clicando aqui.