Governo Biden vai revisar milhares de casos de deportação de imigrantes sob o governo Trump

Segundo informações divulgadas pelo site Politico, serão revisados casos de deportação de parentes de militares, veteranos e de cônjuges e filhos de cidadãos americanos

0
1765
Entre outubro de 2019 e agosto de 2020, 1,789 brasileiros foram deportados dos EUA. Neste mesmo período, 18 voos fretados chegaram a Belo Horizonte. Mesmo durante a proibição de voos devido à pandemia, 15 voos chegaram no Brasil desde março (Foto: Wikimedia)
Certos imigrantes deportados durante o governo Trump poderão ter casos revistos (Foto ICE)

O Departamento de Homeland Security (DHS) vai revisar casos de pessoas deportadas durante o governo Trump, que são parentes de militares, veteranos, cônjuges e filhos de cidadãos americanos.

De acordo com o site Politico, os oficiais do DHS estão trabalhando em casos em que o governo avaliar que a pessoa deportada ‘tinha fortes laços com os EUA’ e que não foi dado ao imigrante o direito de recorrer.  “O DHS está comprometido em revisar casos de indivíduos em que a administração anterior falhou em checar os laços que essas pessoas tinham com o País”, disse a porta-voz do Politico, Marsha Espinosa. Ela disse que os casos serão avaliados individualmente.

Mais de 900 mil pessoas foram deportadas durante o governo Trump. Especialistas da área de imigração afirmam que, na história da política imigratória americana, é muito difícil reverter uma deportação. Até agora, para se reverter uma deportação é necessária uma árdua batalha judicial.

Em fevereiro, a Casa Branca anunciou que vai rever casos de deportação de imigrantes familiares de veteranos e militares.  Um memorando foi enviado ao DHS pelo presidente Joe Biden com as novas prioridades para casos de deportação.

“Como um pai de militar, o presidente Biden sabe os sacrifícios que nossos homens e mulheres de uniforme fizeram pelo nosso País todos os dias. Nossas agências imigratórias vão focar em revisar caso a caso de familiares de militares e veteranos que foram deportados”, informou a Casa Branca em comunicado. (Com informações do Politico)