Eleição presidencial do Brasil é destaque no ‘Last Week Tonight’

Apresentador John Oliver satiriza eleições brasileiras e compara Bolsonaro a Trump

0
836
Foto: Reprodução

No último episódio de Last Week Tonight, no domingo (25), o apresentador e comediante John Oliver dedicou cerca de 20 minutos, a maior parte do programa exibido pela HBO, para analisar as eleições presidenciais do Brasil. Em tom de sátira, Oliver descreveu as campanhas eleitorais brasileiras como “espetaculares”, ilustrando com o vídeo do candidato a deputado estadual de Pernambuco, Taxista Samuray, usando um nunchaku, equipamento utilizado em artes marciais. “Excelente! Estou impressionado que ele passou tanto tempo aprendendo isso e aparentemente zero tempo aprendendo a editar o vídeo que mostra ele desligando no final”, brincou sobre o caráter amador do vídeo, fazendo a plateia rir.

O apresentador falou então da importância das eleições que acontecem no próximo domingo (2). “O Brasil é uma das maiores democracias do mundo, com 156 milhões de eleitores e, no próximo domingo, terá uma votação massiva!”, disse. Oliver apresentou então o candidato a releeição, Jair Bolsonaro, lembrando que o programa norte-americano já havia feito um perfil do presidente brasileiro quatro anos atrás, durante sua primeira campanha presidencial. “Recapitulando, Jair Bolsonaro é um ex-militar populista de direita que, no Congresso, falou para uma colega mulher ‘eu não estupraria você porque você não merece’”, disse arrancando reação da plateia. 

Oliver mencionou também o candidato Luiz Inácio Lula da Silva. “Ele foi incrivelmente popular quando esteve na presidência mas, mais tarde, foi pego em uma investigação de corrupção internacional, Operação Lava Jato, e foi parar na cadeia durante a última eleição brasileira, por isso não pôde concorrer”, disse. “Mas, desde que a sua condenação foi anulada, as pesquisas de intenção de voto mostram ele liderando a corrida com uma margem grande, de 10%”, disse. 

Segundo o apresentador, “ao que parece, se Bolsonaro perder, ele não vai deixar a Presidência sem brigar” e poderia inclusive seguir o exemplo de Trump, encorajando seus eleitores a uma “versão tropical” da insurreição do Capitólio. “A versão bolsonarista de 6 de janeiro pode ser muito mais destrutiva do que a de Trump, considerando seus acordos para cultivar o apoio militar”, disse o apresentador. 

O Last Week Tonight do último domingo destacou ainda a situação da Amazônia brasileira, reproduzindo uma reportagem do canal Al Jazeera, que aponta o governo Bolsonaro como responsável pelo maior desmatamento da floresta amazônica na última década. “Uma área dez vezes maior que a cidade de Nova York foi desmatada só este ano”, afirma a reportagem.

John Oliver analisou também a resposta de Jair Bolsonaro a pandemia de covid-19. “Desde o início, ele se recusou a levar a pandemia a sério, comparando o covid a uma gripezinha”, falou, mencionando também o episódio da falta de resposta do Presidente aos e-mails enviados pela farmacêutica Pfizer. 

O comediante concluiu sua análise sobre as eleições brasileiras falando a respeito da polêmica em volta da urna eletrônica e afirmou: “No Brasil, há muita coisa em jogo e, o mais provável, é que ninguém ganhe no próximo domingo. Isso significa que ambos, Bolsonaro e Lula, vão concorrer novamente no dia 30 de novembro. E as semanas até lá podem ser de dar nos nervos!”

No encerramento do show, John Oliver levantou da cadeira em posse de um nunchaku e, imitando o candidato Taxista Samuray, falou em português: “Oi, Brasil. Eu sou o apresentador samurai. Sinto muito pelo o que vocês estão passando nesse momento. Nossos pensamentos estarão com vocês nas próximas semanas. Boa sorte!”.

Assista abaixo o programa completo, transmitido pela HBO.