Elon Musk diz que vai analisar casos de censura no Twitter Brasil

Bilionário dono do Twitter reagiu a comentário de censura a políticos de direita no Brasil

0
528
Elon Musk com o presidente Bolsonaro durante visita do empresário ao Brasil, em maio. Foto: Reprodução Poder 360

O bilionário Elon Musk, que em outubro adquiriu o Twitter por $44 bilhões de dólares, declarou que vai analisar possível ação de censura a usuários da rede social no Brasil.

No domingo (6), Musk respondeu a um post do comentarista da Jovem Pan, Paulo Figueiredo Filho, sobre o cancelamento da conta de Marcos Cintra, ex-secretário da Receita Federal e professor na Fundação Getulio Vargas. Cintra levantou questionamentos sobre o sistema eleitoral brasileiro e sobre as urnas eletrônicas, colocadas sob suspeita por apoiadores do presidente Bolsonaro, depois de sua derrota no domingo (30). “Seus moderadores estão sendo mais ditatoriais do que a nossa corte”, disse Paulo Figueiredo. Em resposta, Musk prometeu: “Eu vou dar uma olhada nisso”.   

A pedido do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Twitter suspendeu também as contas da deputada Carla Zambelli (PL-SP), reeleita com quase 1 milhão de votos, e do deputado federal mais votado da última eleição, Nikolas Ferreira (PL-MG), junto com outros dois deputados de direita, Coronel Tadeu (PL-SP) e Major Vitor Hugo (PL-GO).

Autoproclamado “absolutista da liberdade de expressão”, ao adquirir o Twitter, Musk reafirmou seu compromisso em restabelecer a liberdade na rede social. “Faço isso pelo bem da humanidade”, disse.