Em processo de reestruturação, Forever 21 anuncia quais lojas fecham as portas no Sul da FL

As lojas do Pembroke Pines Mall, Gardens Mall em Palm Beach Gardens e Lincoln Road Mall em Miami Beach encerrarão suas atividades

0
1743
Forever 21 da Lincoln Road vai fechar as portas (Foto Phillip Pessar - Flicker)

Três lojas da Forever 21 no Sul da Flórida serão fechadas por enquanto: no Pembroke Pines Mall, Gardens Mall em Palm Beach Gardens e Lincoln Road Mall em Miami Beach. O encerramento das atividades dessas lojas faz parte do processo de reestruturação da empresa americana, que anunciou abertura de processo de falência no domingo (29). A empresa anunciou o fechamento de até 350 lojas em todo o mundo. Somente nos EUA, 178 lojas fecharão as portas.

A Sul da Flórida conta ainda com lojas no Palm Beach Outlets em West Palm Beach, Town Center em Boca Raton, Sawgrass Mills em Sunrise, Dolphin Mall e Palms Town & Country em Miami e Miami International in Doral.

A Forever 21 recorreu ao “Capítulo 11” da lei americana de falências, que permite manter o controle e posse de seus bens enquanto administra uma reestruturação. A Forever possui atualmente mais de 800 lojas nos Estados Unidos, Ásia, Europa e América Latina. A rede atua no Brasil desde 2014.

“Como parte da estratégia de reestruturação, a companhia planeja sair da maioria de suas localizações internacionais na Ásia e na Europa, mas continuará suas operações no México e na América Latina”, afirmou a empresa.

Fundada em Los Angeles em 1984 pelo casal sul-coreano Do Won e Jin Sook Chang, a Forever 21 se tornou uma das lojas favoritas das adolescentes nos Estados Unidos, ao oferecer roupas similares às de grandes marcas de moda a preços acessíveis.

Competindo com empresas como H&M e Zara, a rede iniciou uma expansão agressiva no setor de roupa masculina e calçados após a crise econômica de 2008.

Os analistas consideram que a Forever 21 falhou no momento de reagir ao avanço das vendas online, assim como ao impacto da mudança de atitude dos consumidores pelo impacto no meio ambiente das redes “fast fashion” e sua preocupação com as condições de trabalho nas fábricas que elaboram seus produtos, destaca a agência France Presse.

Desde 2017, mais de 20 varejistas já entraram com pedido de recuperação judicial nos EUA, incluindo a Sears e a Toys ‘R’ US.