Empresários americanos elogiam vice de Bolsonaro em evento nos EUA

Em sua fala, Jane Fraser, CEO para a América Latina do Citigroup, por exemplo, afirmou que o comportamento calmo e firme de Mourão ajuda a construir a confiança do governo brasileiro

0
1152
O vice-presidente Hamilton Mourão, durante evento na US Chamber, em Washington (Foto: Reprodução Twiter)
O vice-presidente Hamilton Mourão, durante evento na US Chamber, em Washington (Foto: Reprodução Twiter)

Empresários que se encontraram com o vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, em evento fechado na segunda-feira (8) em Washington D.C. elogiaram o temperamento “calmo e firme” do vice-presidente e afirmaram que o veem hoje como fonte de estabilidade do governo brasileiro.

Segundo participantes de uma mesa de debate na US Chamber o discurso de Mourão —em inglês— destoou daquele feito pelo presidente Jair Bolsonaro, há 20 dias, no mesmo local, pela demonstração de conhecimento preciso dos principais dados relacionados à política externa e aos assuntos que dizem respeito aos dois países.

Em sua fala, Jane Fraser, CEO para a América Latina do Citigroup, por exemplo, afirmou que o comportamento calmo e firme de Mourão ajuda a construir a confiança do governo brasileiro.

Ela se referia a uma conversa que o vice teve no começo de fevereiro com investidores —e não ao discurso específico desta segunda. Mas ponderou que o general havia demonstrado muita habilidade na ocasião.

No mês passado, quando esteve em Washington, Bolsonaro fez um discurso de cerca de dez minutos na US Chamber e pouco falou sobre comércio e relações exteriores. O presidente delegou a função ao ministro da Economia, Paulo Guedes, que discursou por mais de uma hora e agradou empresários e investidores presentes ao citar medidas liberais.

Mourão também defendeu a necessidade de aprovar as reformas da Previdência e tributária e de promover uma série de privatizações no país.

O vice fez diversos elogios a Bolsonaro e, indagado sobre a relação bilateral com os EUA, respondeu que sua visão era a mesma expressada pelo presidente no mês passado.