Entrevistado por americana, Wagner Moura critica ‘golpe’ contra Dilma

0
1795
Wagner Moura durante sua entrevista ao talk-show 'Chelsea', da Netflix
Wagner Moura durante sua entrevista ao talk-show 'Chelsea', da Netflix

O ator brasileiro Wagner Moura, à exemplo da atriz Sonia Braga, é mais um nome famoso do cenário pop brasileiro a manifestar sua opinião a respeito do afastamento da presidente Dilma Rousseff. O ator, que foi convidado do programa de entrevistas “Chelsea”, apresentado pela comediante Chelsea Handler e exibido pela Netflix, disse em episódio do talk-show que foi ao ar na quinta-feira (15), considerar que a petista foi vítima de um “golpe”. Apesar de dizer não ter votado na petista, ele classifica a situação atual do país como “algo muito próximo a um golpe de Estado”. “Afastaram [Dilma] sem nenhuma razão. Democraticamente, é uma grande ruptura”, criticou.

Ainda na mesma entrevista, Moura talvez tenha dado o maior spoiler de sua carreira. (O termo em inglês significa contar detalhes importantes de uma produção, como o final de um filme ou o desfecho de uma novela.) Pois Moura revelou que o personagem que interpreta na série “Narcos”, o traficante de drogas colombiano Pablo Escobar, morrerá na segunda temporada da série. Ao fazer a revelação, o próprio ator brincou com isso. “Qualquer um que for ao Google e pesquisar sobre a vida de Escobar saberá que ele acabou morto, então não estou estragando muito a surpresa”, disse à entrevistadora.

O traficante colombiano morreu após ser baleado em cima de uma casa, em 1993, e uma foto de Moura em um telhado foi divulgada pelo site TMZ em abril, relembra o site “Noticias da TV”. Não se sabia, na época, se a cena seria exibida na segunda temporada. “Narcos”, indicada ao Globo de Ouro deste ano, deve ter novos episódios mesmo sem Escobar, já que foi desenvolvida para contar histórias de traficantes famosos e suas organizações criminosas.

A segunda temporada de “Narcos” estreia em 2 de setembro e “será sobre Pablo em fuga”, disse Moura a Chelsea. Os novos episódios cobrirão um mês da história de Escobar, da fuga dele da prisão até a sua morte. O primeiro ano contou dez anos da vida do traficante.

Especula-se que a série, após a segunda temporada vá seguir nos moldes de “American Horror Story”, produção que muda seu enredo a cada temporada, mantendo os mesmos atores só que em outros papeis.